Esportes

Brasil e Itália revivem rivalidade histórica em jogo decisivo no Mundial Sub-17

O Mundial Sub-17, disputado no Brasil, terá na noite desta segunda-feira um encontro entre dois dos países mais tradicionais da história do futebol. No estádio Olímpico, em Goiânia, às 20h, a seleção brasileira decide vaga na semifinal contra a Itália, em uma partida que servirá para os garotos sentirem o peso da antiga rivalidade entre equipes que já decidiram duas vezes a Copa do Mundo.

Embora estejam em campo nesta fase de quartas de final jogadores nascidos a partir de 2002, todos cresceram e passaram a gostar de futebol marcados por histórias e relatos de como a rivalidade entre Brasil e Itália se formou. Os países se enfrentaram em Copas do Mundo em 1938, 1970, 1978, 1982 e 1994, com superioridade brasileira: a Itália se deu bem duas vezes, ante três vitórias do Brasil.


Neste Mundial sub-17 o Brasil vai às quartas de final com uma campanha perfeita, com quatro vitórias em quatro jogos. A equipe do técnico Guilherme Dalla Déa passou na fase de grupos por Canadá, Nova Zelândia, Angola e, por último, o Chile, pelas oitavas. Os italianos tiveram uma trajetória com vitórias na primeira fase sobre Ilhas Salomão e México e derrota para o Paraguai. No mata-mata, a equipe superou o Equador por 1 a 0.

A seleção brasileira terá de superar a ausência do principal jogador. O atacante Talles Magno, com lesão na coxa direita, não vai jogar mais o Mundial e a partir de agora terá como substituto o meia Pedro Lucas, do Grêmio. Os italianos têm como destaque o meia Degnand Gnonto, da Inter de Milão, autor de três gols na competição e com apenas 16 anos recém-completados.

Apesar do peso histórico em Copas do Mundo de um encontro entre Brasil e Itália, donos de nove títulos, nas competições de base os europeus não têm a mesma tradição. Os italianos jamais conquistaram torneios sub-17 ou sub-20. No máximo o país conseguiu ser semifinalista. Já o Brasil, por sua vez, tem três conquistas no sub-17 e cinco no sub-20.

Quem vencer a partida em Goiânia, terá como rival na semifinal o vencedor da partida entre Espanha e França, que jogam na tarde desta segunda-feira. A outra semifinal já está definida e vai reunir México e Holanda.

JOGOS PARA A HISTÓRIA – Brasileiros e italianos quando se enfrentam em Copas do Mundo sempre fazem partidas para ficar na história. As mais importantes foram as duas finais, em 1970 e 1994, assim como o duelo de 1982. Este último, realizado na Espanha, ficou conhecido como a Tragédia do Sarriá, já que a geração talentosa de Zico, Sócrates e Júnior perdeu para os azarões italianos por 3 a 2 e deram adeus ao Mundial. A equipe europeia terminaria como campeã naquele ano.

Já nas finais de Copa, o Brasil levou a melhor nas duas ocasiões. A primeira delas foi no México, em 1970, quando a vitória por 4 a 1 do time de Pelé garantiu a conquista definitiva da Taça Jules Rimet. As equipes se reencontrariam em 1994. Foi a primeira final de Copa do Mundo a ser definida nos pênaltis. E deu Brasil. O time de Romário garantiu o tetracampeonato.

Os outros dois confrontos em Copas do Mundo foram em 1938 e 1978. No primeiro deles, na França, a Itália venceu por 2 a 1 na semifinal e logo depois seria campeã mundial, ao bater a Hungria na decisão. Já 40 anos depois, na Argentina, o Brasil devolveu o placar aos italianos na disputa do terceiro lugar.