Esportes

Brasil bate Japão de virada, mas é eliminado do Mundial de Vôlei e amplia jejum

A seleção brasileira feminina de vôlei venceu o Japão por 3 sets a 2, de virada, com parciais de 23/25, 16/25, 28/26, 25/21 e 15/11, nesta quinta-feira, em Nagoya, mas deu adeus ao Campeonato Mundial e ampliou o seu histórico jejum de títulos na competição.

Por causa do saldo de sets inferior ao das adversárias, o Brasil entrou em quadra com a obrigação de superar as japonesas por 3 a 0 e viu o sonho da classificação à próxima fase do torneio realizado no país das suas rivais ruir com a derrota sofrida já na primeira parcial.

Bicampeã olímpica, com os ouros obtidos em Pequim-2008 e Londres-2012, a seleção brasileira almejava o inédito título mundial para o vôlei feminino do País. Porém, acabou pagando o preço pelo desempenho oscilante no torneio. Em nove jogos na competição, o Brasil ganhou sete, mas sofreu um revés inesperado diante da Alemanha, levou um 3 a 0 da Sérvia e chegou a perder um set para o México, nação cuja seleção é inexpressiva no cenário do vôlei mundial.

O time comandado pelo técnico José Roberto Guimarães também superou Porto Rico, República Dominicana, Quênia, Casaquistão, México e Holanda em sua campanha no Japão, onde terminou a segunda fase do Mundial em quarto lugar do Grupo E, com 20 pontos.

Mesmo derrotada pelo Brasil, a seleção japonesa avançou ao estágio seguinte da competição como vice-líder da chave, com 22 pontos, atrás apenas da Holanda, que se garantiu no topo, com 24, ao derrotar a Sérvia por 3 sets a 0 em outro confronto realizado nesta quinta-feira. As sérvias entraram em quadra com classificação assegurada à próxima fase por antecipação e ficaram na terceira posição.

Já em outros duelos deste Grupo E entre seleções que já estavam eliminadas, Porto Rico venceu o México por 3 sets a 1 e a República Dominicana bateu a Alemanha por 3 a 0 nesta quinta-feira.

Instável, a seleção brasileira cedeu 30 pontos às japonesas em erros durante o duelo em Nagoya, contra 22 cometidos pelas anfitriãs, que passaram a atuar de forma mais relaxada após ganharem o primeiro set. Abalado, o Brasil também caiu na segunda parcial, mas depois foi buscar uma virada por 3 a 2 para se despedir de forma honrosa da competição.

No fim, o time nacional contabilizou outros 64 pontos em ataques, 15 em bloqueios e mais seis em saques, contra 65, seis e sete somados, respectivamente, pelas donas da casa nos mesmos fundamentos. Tandara, com 24 pontos, foi o maior destaque ofensivo do jogo, enquanto Fernanda Garay veio pouco atrás, com 20. Sarina Koga , com 23 pontos, foi o principal nome da equipe japonesa.

Garay, por sua vez, falou de maneira sensata ao comentar a eliminação brasileira após o duelo contra o Japão. “Fica difícil analisar o resultado agora, logo depois do jogo, com a cabeça quente, mas só a vitória por 3 a 0 nos interessava. E a gente não conseguiu fechar o primeiro set e isso comprometeu a nossa atuação”, afirmou a jogadora, em entrevista ao SporTV.