Mundo

Brasil abrirá centro de ajuda humanitária para a Venezuela

SÃO PAULO, 11 FEV (ANSA) – O governo brasileiro reconheceu hoje (11) a representante do autoproclamado presidente da Venezuela, María Teresa Belandria, como embaixadora oficial do país, e aceitou montar um centro de armazenamento de ajuda humanitária em Roraima, na fronteira entre os dois países. “O Brasil se comprometeu com o presidente interino [da Venezuela], Juan Guaidó, para nos dar todo o apoio possível para o estabelecimento, talvez ao final desta mesma semana, de um centro de ajuda humanitária e de um centro de distribuição”, afirmou Belandria.   

Segundo a embaixadora, o local será útil “para fazer chegar aos venezuelanos a ajuda humanitária que estão necessitando”. Belandria, que representa o presidente da Assembleia Nacional da Venezuela e opositor ao governo de Nicolás Maduro se reuniu nesta tarde com o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo. Até o momento, o Itamaraty não se pronunciou. O encontro ainda contou com a presença do deputado venezuelano Lester Toledo, atual coordenador do esforço internacional de envio de suprimentos para a Venezuela. Nos últimos dias, diversos alimentos e medicamentos enviados pelos Estados Unidos estão em um centro de armazenamento em Cúcuta, cidade colombiana. No entanto, militares bloquearam a ponte fronteiriça para impedir a entrada da ajuda humanitária.   

Maduro alega que o governo de Donald Trump está se aproveitando para realizar uma intervenção militar no país latino. (ANSA)