Mundo

Boxeador Manny Pacquiao diz que vai concorrer à presidência das Filipinas em 2022


MANILA (Reuters) – O astro do boxe Manny Pacquiao disse neste domingo que concorrerá à presidência das Filipinas no ano que vem, depois de protestar contra a corrupção no governo e o que ele chama de relação confortável entre o presidente Rodrigo Duterte e a China.

Pacquiao aceitou a nomeação da candidatura feita pelos seus aliados políticos durante a assembleia nacional da corrente interna que ele comanda no partido governista PDP-Laban, dias após um grupo rival indicar um aliado de longa data de Duterte, o senador Christopher “Bong” Go, como presidenciável.

Essa mesma corrente também indicou Duterte para candidato a vice-presidente, em uma jogada que os críticos chamaram de golpe cínico para manter Duterte no poder.

Go acabou recusando a indicação, mas a divisão entre as correntes de Pacquiao e Duterte dentro do partido aumentou.

“Eu sou um lutador e sempre serei um lutador dentro e fora do ringue”, disse Pacquiao, de 42 anos, atualmente senador, em um discurso transmitido ao vivo durante a assembleia. “Aceito a indicação como candidato a presidente da República das Filipinas.”

(Por Enrico Dela Cruz)

Saiba mais
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Sprinter vira motorhome completo; conheça o modelo
+ Mulher chama a polícia ao desacreditar que nova vizinha, de 20 anos, era proprietária do imóvel
+ Em pose sexy, Cleo Pires afirma: "Amando essa minha bunda grande"
+ Médicos encontram pedaço de cimento em coração de paciente durante cirurgia
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio