Bolsonaro ultrapassa todos os limites e já não merece qualquer tipo de perdão

Crédito: José Dias/PR

(Crédito: José Dias/PR)

Acabei de assistir ao JN dessa noite (quinta-feira, 6 de janeiro) e sinceramente estou sem palavras para descrever o que estou sentindo.

Você pode detestar a Globo e o William Bonner ou a Renata Vasconcellos, mas você jamais pode afirmar que o JN mente ou divulga notícias falsas, ainda que edição, tom de voz e etc, deem margem à manipulação.

O fato é: Jair Bolsonaro, Bia Kicis e toda essa gente imunda que orbita esse desgoverno tirânico precisam ser impedidos e punidos imediatamente.

Dias atrás, uma deputada bolsonarista inescrupulosa – Carla Zambelli – associou o desmaio de um apresentador do SBT (ao vivo) à vacinação contra a Covid, sem que exista qualquer evidência, minimamente próxima disso.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, uma espécie de Queiroz do presidente no ministério, se é que me entendem, vem repetindo as barbaridades ditas por Bolsonaro em relação à vacinação infantil e mortes de crianças. São falas e atitudes imorais e criminosas.

Bia Kicis, outra bate-pau do bolsonarismo rasteiro, de forma abjeta e 100% fascistóide, divulgou propositalmente os dados de três médicos que se manifestaram a favor das vacinas para crianças de cinco a onze anos.

(Detalhe: eu já tive meus dados divulgados por um bolsonarista imundo, e sei do que são capazes os lunáticos covardes que apoiam, com unhas e dentes, esse cretino que ocupa o Planalto).

O que Jair Bolsonaro disse a respeito da Anvisa e seus técnicos – servidores de carreira respeitados e apolíticos em suas decisões – é muito mais do que inaceitável. É simplesmente imoral e, outra vez, criminoso. Aliás, se isso não configura crime de responsabilidade, punível com o impeachment, eu não sei mais o que poderia configurar.

Para piorar, o mitômano homicida duvidou que existam mortes de crianças, tal como cansou de fazer a respeito das mortes por Covid de adultos e idosos. Inclusive, não custa lembrar, estimulou invasões a hospitais, no começo da pandemia, com a desculpa de que não haveria doentes internados em certas unidades de saúde.

Já são quase 2 mil pais e mães desesperados pela morte de filhos menores de idade. São cerca de 300 mortes apenas em crianças de cinco a onze anos. Mas Bolsonaro, de forma deplorável, cafajeste, repugnante, coloca em dúvida a veracidade do luto de um pai, de uma mãe, de irmãos e avós. É asqueroso além do suportável.

Estados Unidos e parte da Europa já aplicaram mais de 10 milhões de doses de vacinas contra a covid em crianças e nenhum efeito adverso grave foi relatado. A Sociedade Brasileira de Pediatria (pediatras, meu Deus!!) recomendou a vacinação dos pequeninos. Mas Bolsonaro, o sábio mito, os chama de “tarados da vacina”.

Até hoje eu respeitava, civilizada e democraticamente, a opinião de quem apoia esse monstro. Ou melhor, essa monstruosidade. Eu respeitava o direito não só de opinião, mas de ideologia e posição política de quem é bolsonarista.

Porém, a partir do que assisti há pouco, confesso que não terei mais qualquer apreço ou mera condição de me relacionar, mesmo que esporádica e/ou socialmente, com quem ainda tenha a coragem de defender Jair Bolsonaro.

Aliás, vou além: se você é daqueles que dizem que irão votar neste traste porque “contra o PT voto até no capeta” (erro que grosseiramente cometi em 2018, e que me penitencio todos os dias) saiba que, para mim, tanto quanto quem diz que votará no “mito” por gosto, você é um(a) desqualificado(a) e não me merece qualquer sentimento senão repúdio e desprezo.

Quem apoia assassinos não é melhor do que… assassinos! Quem apoia Bolsonaro, que fique claro, não é melhor do que o próprio. Sim, eu sei que, infelizmente, o que digo talvez me faça perder amigos antigos e queridos. Mas prefiro isso ao silêncio diante do que acabei de ver.

Há outros candidatos que não o meliante de São Bernardo – outro ser asqueroso, diga-se de passagem. E há o voto em branco. Portanto, se você votar neste pedaço de fezes ambulante, assuma que o faz, porque não é nada melhor do que ele.

Não seja covarde e coloque a culpa no PT. Ao contrário de 2018, hoje você sabe quem é Jair Bolsonaro; quem são seus filhos; quem são Queiroz, Bia Kicis, Carla Zambelli e outros da espécie. Você sabe o que querem, como agem e do que são capazes. Ou seja, não há absolutamente nada pior do que essa gente. Não há nada que justifique você estar ao lado disso.

Há uma máxima que diz: “ou você está comigo ou está contra mim”. Pois bem. Tomo-a emprestada e digo: se você está com Bolsonaro, está contra mim. Seja feliz com suas escolhas e as consequências. De preferência, bem longe desse cara aqui.


Sobre o autor

Ricardo Kertzman é blogueiro, colunista e contestador por natureza. Reza a lenda que, ao nascer, antes mesmo de chorar, reclamou do hospital, brigou com o obstetra e discutiu com a mãe. Seu temperamento impulsivo só não é maior que seu imenso bom coração.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2022 - Três Editorial Ltda.
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.