O governador de Santa Catarina, Jorginho Mello (PL), visitou nesta quarta-feira, 15, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), internado com erisipela, infecção de pele causada por bactérias, no hospital Vila Nova Star, em São Paulo, desde o último dia 6. O chefe do Executivo estadual afirmou, em publicação no Instagram, que a recuperação do aliado “anda a passos largos”.

“Logo logo nosso capitão estará 100% recuperado para continuar lutando por um Brasil melhor”, escreveu o governador ao compartilhar uma foto ao lado de Bolsonaro, que também recebeu a visita do governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), e do prefeito da capital, Ricardo Nunes (MDB).

+ PF tem novas imagens de joias ilegais de Bolsonaro vendidas nos EUA

 

Nesta quinta-feira, 16, o hospital informou que “o quadro infeccioso foi controlado e, hoje, (Jair Bolsonaro) encontra-se no último dia da antibioticoterapia endovenosa”. O ex-mandatário está sob os cuidados do cirurgião Antônio Luiz Macedo e do cardiologista Leandro Echenique.

Segundo o advogado e assessor Fábio Wajngarten, o ex-presidente deve receber alta hospitalar nesta sexta-feira, 17, após 13 dias de hospitalização, período considerado normal para o caso.

O ex-chefe do Executivo foi internado primeiramente em Manaus (AM) por causa da infecção na pele e transferido para a capital paulista após sentir dores abdominais. Inicialmente, era planejado que Bolsonaro fosse tratado em Brasília, mas o destino foi alterado para que ele pudesse ser atendido por Macedo, médico que o acompanha desde a facada sofrida na campanha eleitoral de 2018.

Como mostrou o Estadão, a erisipela é uma doença bastante comum e pode ser causada por inchaço nas pernas, baixa imunidade e má higienização de ferimentos. O tratamento da inflamação dura de sete a 14 dias e, se não tratada, pode se tornar generalizada e levar à morte.