Economia

Bolsonaro passa a considerar mudanças em BPC e rural, diz presidente do Podemos

Após reunião com o presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, a presidente do Podemos, Renata Abreu, afirmou que o partido apoia a reforma da Previdência, mas que defende algumas alterações na proposta apresentada pelo governo. “Quanto à reforma da Previdência, nós somos favoráveis, mas com algumas alterações, que inclusive o próprio presidente (Bolsonaro) já passou a considerar, como BPC (Benefício de Prestação Continuada), e aposentadoria do trabalhador rural”, disse.

Questionada se Bolsonaro já admite que pode haver mudanças nesses dois pontos, Renata respondeu que sim.

Apesar do apoio à reforma, a presidente do Podemos disse que o partido vai manter posição de independência em relação ao governo, sem fechar questão de ordem quanto à votação da Previdência. “Essa posição de independência vai se manter. Nós queremos ajudar sim o Brasil a funcionar e que as reformas avancem no Parlamento”, disse Renata, após a audiência com o presidente, que tem se encontrado com lideranças partidárias nos últimos dias.

Veja também

+ Veja como é a esteira de R$ 44 mil que o governo pretende comprar
+ Os cães podem ver espíritos e fantasmas? A ciência tenta responder
+ Mc Mirella revela as suas tatuagens. Veja fotos
+ Voge 500DS, uma chinesa para bater de frente com a Honda CB 500 X
+ Colocar o espelho desta maneira vai fazer você ganhar mais espaço

O líder do Podemos na Câmara, José Nelto, também estava presente na reunião.

De acordo com a presidente do Podemos, outro ponto levado a Bolsonaro foi o pleito do partido em torno da aposentadoria dos professores. “Presidente ouviu pleito com muito carinho”, disse a parlamentar.

Segundo ela, a questão é prioritária para o partido, que quer manter a aposentadoria especial dos professores como nas regras atuais. “Fizemos um apelo para que o governo apresente estudo de impacto da possibilidade da manutenção da aposentadoria especial dos professores, que gostaríamos de preservar ou melhorar”, comentou.

Ainda segundo a presidente do partido, a proposta em torno do regime de capitalização está sendo estudada, com um debate sobre um possível redesenho da medida. A avaliação de Renata, no entanto, é de que capitalização deve sair da reforma neste primeiro momento. “Acredito que nesse primeiro momento é um ponto que pode sair”, completou.