Bolsonaro mira o STF para atingir Lula na disputa de 2022

Presidente perdeu o discurso anticorrupção para a iminente disputa contra o PT, e vai culpar o Supremo por inocentar o petista e derrubar a Lava Jato

Crédito: EVARISTO SA/AFP

(Crédito: EVARISTO SA/AFP)


O livro republicano dos inquilinos do Poder Executivo não registra em suas páginas um presidente tão boquirroto, falastrão, metido a John Wayne de um faroeste tupiniquim com script traçado por ele próprio. Jair Bolsonaro tornou-se um personagem pitoresco da nação.

Nisso, o Brasil virou um circo a céu aberto, com palco em Brasília, de onde o chefe da nação fala para sua plateia – uma claque eufórica – e esquece de quem pagou ingresso na eleição de 2018 e ficou do lado de fora esperando o show do crescimento e da democracia. Corre o risco de, no Palácio do Planalto, virar o Palhaço do Planalto.

No entanto Bolsonaro sabe o que faz, dos riscos que corre e das consequências dos seus atos. Ele tem dimensão de seu poder, e joga para a sua plateia visando o ganho eleitoral para sua reeleição. E só. Fez chegar aos ministros do STF que o problema é com Alexandre de Moraes, e não com o plenário. O porta-voz do recado foi o chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, que se encontrou recentemente com o ministro Nunes Marques, seu apadrinhado para a Corte.

O presidente perdeu o discurso anticorrupção para a candidatura à reeleição. Com os escândalos das “rachadinhas” salariais nos mandatos da família há décadas, e com as suspeitas de negociatas debaixo do seu nariz no Ministério da Saúde sobre a vacina contra o Covid-19, ele precisava de um novo alvo para se sustentar com o eleitor e minorar eventuais estragos políticos. Elegeu Moraes, que prende seus aliados que atacam e ameaçam os togados.

Bolsonaro já cravou para os mais próximos que a futura campanha será contra o que considera abusos do STF e do poder de seus ministros. A curto prazo, desvia o foco de problemas no seu Governo. E a médio prazo prepara o campo para o embate esperado com o presidenciável Lula da Silva (PT).

Aí vem o golpe eleitoral: na futura campanha, Bolsonaro vai lembrar todos os escândalos da Era PT, a corrupção na Petrobras, a Operação Lava Jato, a prisão de Lula. E vai culpar o STF por inocentar o adversário e enterrar a Lava Jato. O STF está contra o Brasil, a seu ver. Está tudo preparado.

Todavia, hoje, ao atacar o Poder Judiciário, e fazer seguidas ameaças veladas à independência do Poder Judiciário – como neste 7 de Setembro – ele se esquece de que as Forças Armadas são obedientes à Nação e à Constituição, e não às vontades político-ideológicas do chefe de Estado, embora seja o comandante maior.

O presidente da República faz um show, e só – mas é importante toda a plateia ficar atenta ao roteiro.


Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais


Sobre o autor

Leandro Mazzini começou a carreira jornalística em 1996. É graduado em Comunicação Social pela FACHA, do Rio de Janeiro, e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. A partir de 2000, passou por ‘Jornal do Brasil’, ‘Agência Rio de Notícias’, ‘Correio do Brasil’, ‘Gazeta Mercantil’ e outros veículos. Assinou o Informe JB de 2007 a 2011, e também foi colunista da Gazeta. Entre 2009 e 2014 apresentou os programas ‘Frente a Frente’ e ‘Tribuna Independente’ (ao vivo) na REDEVIDA de Televisão, em rede, foi comentarista político do telejornal da Vida, na mesma emissora e foi comentarista da Rede Mais/Record TV em MG. Em 2011, lançou a ‘Coluna Esplanada’, reproduzida hoje em mais de 50 jornais de 25 capitais e interior Foi colunista dos portais ‘UOL’ e ‘iG’ desde então, e agora escreve no blog que leva seu sobrenome no portal da ‘Revista Isto É’, onde conta com o trabalho dos jornalistas Walmor Parente e Carolina Freitas, além de correspondentes no Rio e Recife. É também comentarista das rádios ‘JK FM’ em Brasília, ‘Super TUPI’, do Rio, e ‘Rádio Muriaé’.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Três Editorial Ltda.
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.