O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) acusou, sem provas, que a “esquerda busca meios de descriminalizar a pedofilia, transformando-a em uma mera doença ou opção sexual”.

A postagem feita na terça-feira (14) nas redes sociais comenta o Projeto de Lei da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, que sugere aumento na pena de crimes sexuais praticados contra crianças e adolescentes.

No post, internautas rebateram o comentário do presidente, o acusaram de espalhar fake news e lembraram que boatos parecidos já foram desmentidos no passado.

Em 2017, por exemplo, o ex-deputado do Psol Jean Wyllys foi acusado pelo atual deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) de defender a pedofilia.

O ex-BBB chegou a processar Frota pela acusação e no final de 2018 a 2ª Vara Federal de Osasco, na Grande São Paulo, condenou o ator por difamação e injúria. Durante as eleições de 2018, o então candidato à Presidência pelo PT, Fernando Haddad, também foi alvo de boatos.

Uma publicação que circulava nas redes sociais atribuía a ele a autoria de um projeto de lei que descriminalizava a pedofilia. A proposta em questão era o PL 236/2012, apresentada pelo ex-presidente e ex-senador José Sarney (MDB-AP) e que estava sob a relatoria do senador Antonio Anastasia (PSDB). Vale ressaltar que o texto não propunha a descriminalização da pedofilia.


Siga a IstoÉ no Google News e receba alertas sobre as principais notícias