Bolsonaro, Kássio e devotos: uma união fatal de imbecis com o coronavírus

Crédito: Lalo de Almeida

(Crédito: Lalo de Almeida)


Ainda está dando o que falar – e não poderia mesmo ser diferente! – a absurda e estúpida decisão tomada por Kássio Nunes Marques, ministro do STF recentemente nomeado pelo verdugo do Planalto, Jair Bolsonaro, que liberou cultos religiosos presenciais em templos e igrejas por todo o País, em meio ao colapso hospitalar.

A medida homicida, apoiada e defendida pelo desgoverno do devoto da cloroquina, através do ex-ministro da Justiça André Mendonça, encontrou respaldo em Augusto Aras, o Procurador Geral da República, igualmente nomeado pelo maníaco do tratamento precoce, quando dele seguiu para a Suprema Corte até a canetada monocrática.

No início desta maldita pandemia, ouvimos falar em um proto ditador do Leste Europeu, que recomendou ao povo sauna e vodca contra o vírus. Fosse a população – acho que Belarus – idiota, hoje o país estaria deserto, dizimado pela doença. Nos EUA, teve até imbecil tomando desinfetante porque Trump havia brincado a respeito.

A união entre líderes, sejam políticos ou governantes, ou mesmo celebridades influentes e uma sociedade em grande parte idiota como a brasileira, é catastrófica sob qualquer ponto. Vejam o caso da cloroquina: as emas recusaram a droga ineficaz contra o coronavírus, mas milhões de pessoas, não, e continuam se entupindo dela.

Se a maioria absoluta da nossa sociedade não fosse de certo modo estúpida, a sanha homicida do pai do senador das rachadinhas e da mansão de 6 milhões de reais, agora em consórcio com membros do Judiciário, não causaria malefício. Mas somos um povo majoritariamente alienado e desinformado, para se dizer o mínimo.


+ Pastor é processado por orar pela morte de Paulo Gustavo
+ Vídeo: Aluno é flagrado fazendo sexo durante aula da UFSC
+ Cientistas descobrem nova camada no interior da Terra



Republiquetas bananeiras mundo afora assistem, de tempos em tempos, tiranos idiotas, como Maduro, por exemplo, presos após uma revolução popular ou mesmo, como ocorre com frequência no Oriente Médio, pendurados de cabeça para baixo em uma praça pública. E não, ministro Moraes, não estou pregando nada disto.

Já no Brasil, o amigão do Queiroz toca seu berrante e a manada lhe segue até os confins da ivermectina. Aí reside nosso drama. Quando seu ministro no STF “libera geral” a aglomeração em igrejas, eles estão plantando, hoje, os milhares de casos de Covid-19 de amanhã. No limite, estão “fabricando” cadáveres em série.

Veja também

+ Receita simples de bolo Red Velvet
+ Gabriel Medina torna-se alvo de sites de fofoca
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS


Sobre o autor

Ricardo Kertzman é blogueiro, colunista e contestador por natureza. Reza a lenda que, ao nascer, antes mesmo de chorar, reclamou do hospital, brigou com o obstetra e discutiu com a mãe. Seu temperamento impulsivo só não é maior que seu imenso bom coração.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.