Edição nº2552 15/11 Ver edições anteriores

Bolsonaro ganha mas não leva

A pesquisa Datafolha divulgada na noite desta segunda-feira pelo Jornal Nacional repete a velha máxima do futebol. Jair Bolsonaro (PSL) ganha mas não leva. Explicando em miúdos. Ele ganha fácil no primeiro turno, mas no segundo turno perde para todo mundo. Explicando os números. Bolsonaro, que estava com 22%, cresceu para 24%, já por conta da facada que levou em Juiz de Fora. Em segundo, aparece Ciro Gomes (PDT), que subiu de 10% para 13%. Atrás dele, vem Marina Silva (Rede), a que surpreendentemente foi a que mais caiu. Levou um tombo de 16% para 11%. É a velha rotina de Marina. Vai bem na largada, mas depois morre na praia no final. Foi assim em 2010 e em 2014. Depois de Marina, vem Geraldo Alckmin (PSDB), que subiu de 9% para 10%. Como a pesquisa tem margem de erro de 2 pontos para mais ou para menos, isso significa que os três, Ciro, Marina e Alckmin estão empatados tecnicamente. Logo em seguida, também praticamente em empate técnico, vem o petista Fernando Haddad, que subiu de 4% para 9%. Mas ele nem é candidato ainda. Ele é tão somente candidato a vice. Só nesta terça-feira 11 é que o poderoso chefão do PT, preso em Curitiba, o Lula, vai decidir se Haddad será o candidato do PT ou se o PT vai lançar outro candidato. Fala-se que Lula pode escolher ainda o ex-governador da Bahia, Jaques Wagner, para a vaga. Ou então o PT pode vir a apoiar Ciro Gomes. Essa possibilidade é mais improvável, mas está tudo na cabeça do presidiário Lula. Caberá a ele dar a palavra final. Por ele, o candidato seria ele mesmo. Mas a Justiça Eleitoral já o declarou inelegível. Ele insiste nessa pantomima de ser o candidato, ao arrepio da lei. Não o será e se o PT não indicar outro candidato nesta terça, certamente o PT não terá nenhum candidato na urna eletrônica no próximo dia 7 de outubro. De resto, os outros candidatos realmente não decolaram nas pesquisas, como é o caso de Alvaro Dias (com 3%), João Amoêdo (com 3%) e Henrique Meirelles (também com 3%). Os demais, nem pensar, como é o caso de Guilherme Boulos, Cabo Daciolo, Vera Lúcia, João Goulart Filho e José Maria Eymael. Esses estão no jogo só para competir. O que caiu um pouco foi a tendência de votos em branco ou nulos, que caiu de 22% para 15%. Significa que as pessoas já estão decidindo em quem votar. Agora, o mais importante, é que no segundo turno, Bolsonaro não ganha de ninguém. Perde de Marina (por 43% a 37%), perde para Alckmin (por 43% a 34%), perde para Ciro (por 45% a 35%) e perde até para Haddad (por 39% a 38%, que dá empate técnico, mas com o petista à frente). Ou seja, Bolsonaro ganha no primeiro turno, mas não leva a eleição. Quem se dá bem nos confrontos é Ciro Gomes, que ganha de Alckmin, de Bolsonaro e de Marina. Se bobear, a eleição cai no colo do ex-governador do Ceará. Marina também vai bem no segundo turno, mas perde para Ciro. O problema dela é chegar ao segundo turno, o que hoje parece pouco provável. Mas esse é o quadro de hoje. Ainda faltam 4 semanas para a eleição. Até lá, muita água ainda vai rolar.


Mais posts

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.