Bolsonaro faz ameaça aberta de golpe. Agora só falta o fuzil

No imaginário bolsonarista, o Judiciário já está vendado, diante do batalhão de fuzilamento

Bolsonaro faz ameaça aberta de golpe. Agora só falta o fuzil

O governo Bolsonaro acaba de fazer sua mais escancarada confissão de que pode, sim, recorrer a um golpe militar.

Está numa nota assinada pelo próprio presidente, pelo vice Hamilton Mourão e, vejam só, pelo ministro da Defesa, o general Fernando Azevedo.

Ela responde à decisão liminar proferida ontem pelo ministro do STF Luiz Fux, declarando que as Forças Armadas não são um poder moderador, ou seja, não estão autorizadas pela Constituição a intervir no país sob o pretexto de resguardar a harmonia entre o Executivo, o Legislativo e o Judiciário.

A nota é um primor de cinismo.

Ao mesmo tempo em que elogia a decisão de Fux por “reconhecer o papel e a história das Forças Armadas sempre ao lado da Democracia e da Liberdade”, também afirma que os militares “não aceitam tentativas de tomada de poder por outro Poder da República, ao arrepio das leis ou por conta de julgamentos políticos”.


+ Atleta de Jiu Jitsu morre aos 30 anos de Covid 15 dias após perder o pai pela doença
+ Após ameaças, soldada da PM denuncia coronel por assédio sexual
+ Mulher morre após ingerir bebida alcoólica e comer 2 ovos



Tradução: as Forças Armadas não vão ficar quietas no seu canto se houver cassação da chapa Bolsonaro-Mourão no Superior Tribunal Eleitoral (TSE) ou abertura de impeachment. Ameaça maior do que essa, só mesmo feita com fuzil.

Repita-se: a nota leva a assinatura do ministro da Defesa.

Mais que impeachment, o que preocupa o bolsonarismo neste momento é o julgamento que começa a ganhar velocidade no TSE. Ele vai avaliar, entre outras alegações, se a campanha de Bolsonaro usou caixa dois para impulsionar mensagens nas redes sociais em 2018.

Se isso ficar provado pode haver, sim, cassação. Seria aplicação das leis, mas o Planalto já vai tratando de desqualificar uma sentença nesse sentido como “julgamento político”, ou seja, maracutaia antidemocrática que precisa ser abortada pelos militares.

É isso: o governo zomba de uma sentença do STF e insinua que não vai acatar decisão que lhe seja contrária no TSE.

No imaginário bolsonarista, o Judiciário já está vendado, diante do batalhão de fuzilamento.

 

Veja também

+ Canadá anuncia primeira morte de pessoa vacinada com AstraZeneca no país
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Decifrado código dos Manuscritos do Mar Morto
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.