Bolsonaro engole a língua e bebe o próprio veneno

Crédito: Reprodução

POLITICAGEM Cães e pessoas devem ser bem tratadas como todos os seres vivos. Bolsonaro usa seu cachorro para demagogia ao dizer que a obrigatoriedade da imunização só vale para o seu animal (Crédito: Reprodução)


O Instituto Butantan confirmou que o Ministério da Saúde, leia-se governo federal, irá comprar toda a produção da CoronaVac, a “vacina chinesa do Doria, que causa morte, anomalia e invalidez”, segundo declarou publicamente o presidente Jair Bolsonaro.

O mesmo foi categórico, em mais de uma oportunidade, em afirmar que não compraria a “vachina’, e que o “calça apertadinha” deveria procurar outro freguês, pois “jamais veria a cor do dinheiro do povo brasileiro”. Facebook e Twitter não me deixam mentir.

Bolsonaro, além de psicopata, mentiroso e negacionista convicto, é um néscio pra lá de incapaz e incompetente. Não à toa não termos quaisquer outras alternativas de vacinas, nem sequer seringas e agulhas. Aliás, nem ministro da Saúde nós temos.

Nossa pequena sorte – e alguma esperança – reside na competência de alguns governadores, como o próprio Doria, que abasteceram seus estados com insumos (como Minas Gerais e Paraná) e correram atrás de imunizantes antecipadamente.

Inclusive, de forma autoritária – e aí sim, tipicamente chinesa -, o governo tentou confiscar vacinas, seringas e agulhas dos estados, mas quebrou a cara! O STF, com um humilhante e sonoro NÃO, impediu o roubo bolsonarista da competência alheia.

Dias atrás, o ignorante declarou que “os laboratórios devem correr atrás do Brasil para vender suas vacinas”. Além de estar enganado, como sempre, mentiu mais uma vez: a Pfizer provou que fez uma oferta de 70 milhões de doses, ainda em meados de 2020.

Eis aí! O motivo para que mais de 50 países mundo afora estejam imunizando seus cidadãos – já são mais de 18 milhões de pessoas vacinadas – e o Brasil não é um só: não temos presidente, não temos governo, não temos absolutamente nada.

Agora, desesperado pela queda drástica da popularidade comprada em três parcelas de 600 dinheiros e a crescente possibilidade de impeachment, o devoto da cloroquina se rendeu ao “globalismo comunista chinês” e correu para o colo de João Doria.

Novamente, Bolsonaro engole as próprias mentiras e ofensas que tanto agradam à turba de limitados e recalcados que lhe puxa o saco – presencial e virtualmente – todos os dias. E ainda que engane sua própria seita, seguirá com a razão. Resta saber qual.


Saiba mais
+ Morre a atriz Noemi Gerbelli, a diretora Olívia da novela 'Carrossel', aos 68 anos
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais


Sobre o autor

Ricardo Kertzman é blogueiro, colunista e contestador por natureza. Reza a lenda que, ao nascer, antes mesmo de chorar, reclamou do hospital, brigou com o obstetra e discutiu com a mãe. Seu temperamento impulsivo só não é maior que seu imenso bom coração.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Três Editorial Ltda.
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.