Bolsonaro: dos braços do povo para a lixeira da história

Crédito: Gabriela Bilo

(Crédito: Gabriela Bilo)

Em pouco mais de um século o planeta assistiu ao desfile de pelo menos duas ou três dezenas de líderes populistas, que fizeram da ditadura e violência os pilares dos seus governos.

De Mao a Pol Pot, de Lenin a Stalin, de Castro a Chávez apenas para ficarmos no campo do “comuno socialismo”, ou de Hitler a Mussolini, de Perón a Pinochet, de Franco a Salazar já caminhando à extrema direita, mas tampouco deixando de passear pelos nossos próprios ditadores: Vargas, Costa e Silva, Médici e companhia, rios de sangue correram falsamente em nome do povo e da pátria.

É assustador passar os olhos no mapa-múndi e contar, em mais de uma mão, em pleno século XXI, o número de proto facínoras governando ou caminhando, a passos largos, rumo à autocracias tiranas: Viktor Órban, Vladimir Putin, Xi Jinping, Nicolás Maduro e, sim, por que não?, Jair Messias Bolsonaro. Não fossem os Estados Unidos o que são, em termos de obediência cega à Constituição e aos princípios formulados pelos Pais Fundadores, incluiria facilmente o bufão Donald Trump nessa lista infame.

Há quase uma certeza em relação à morte da democracia nos dias atuais: não serão os canhões, ou na versão tupiniquim-bananinha “um soldado e um cabo”, que darão fim às liberdades individuais e ao Estado de Direito, mas um conjunto diário, metódico, sistemático de ataques às instituições democráticas, por grupelhos fascistóides, financiados por bocós extremistas, guiados por gurus terraplanistas, que fazem da autoridade eleita seus títeres de estimação.

Nesta quinta-feira (11), Bolsonaro conclamou seus seguidores a invadirem hospitais de campanha. Ontem, dia 12, um general líder de governo, em entrevista, ameaçou os opositores: “É bom não esticar a corda”.

A história não tem sido nada pródiga com essa gente. Os que estão vivos e seguros contam com a “força” de aluguel ao seu dispor, e resta descobrir por quanto tempo ainda. Mas é certo que um dia, em breve ou não, serão abandonados pelos braços do povo servil e encontrarão o único e merecido destino que lhes cabe: a lixeira da história.

Veja também

+ Confira 4 dicas para descobrir se o mel é falsificado

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ MG: Pastor é preso por crime sexual e alega que caiu em tentação

+ App permite testar melhor design de sobrancelhas para você

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar



Mais posts

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.