Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

No último dia de 2020, e no terceiro consecutivo em que o país volta a registrar mais de mil mortes em 24 horas, o presidente Jair Bolsonaro fez uma live nas redes sociais em que criticou medidas de isolamento no combate à pandemia de Covid-19 e o uso de máscaras para reduzir as chances de contágio do novo coronavírus. As informações são do IG.

+ Renan diz que resposta a ataques de Bolsonaro é o ‘número de mortos pela Covid’
+ Lula ‘janta’ Bolsonaro por 7×1, segundo Datafolha
+ Datafolha: Bolsonaro tem rejeição de 45%; aprovação recua seis pontos e vai a 24%

O presidente disse que as máscaras de pano são uma “ficção”, que possuem proteção “praticamente zero” contra o coronavírus, mesmo com profissionais da saúde e estudos apontando que seu uso reduz a possibilidade de contaminação pelo vírus.

“Falam tanto em máscara. O tempo todo essa mídia pobre falando: “o presidente sem máscara”. Não encheu o saco ainda, não? Isso é uma ficção. Quando é que nós vamos ter gente com coragem, que eu não sou especialista no assunto, para falar que a proteção da máscara é um percentual pequeno? A máscara funciona para o médico, que está operando uma máscara específica. A nossa aqui, praticamente zero”, disse Bolsonaro.

Um estudo realizado na Alemanha e publicado no início de dezembro mostra que o uso obrigatório de máscaras reduziu a incidência de Covid-19 em 47%, em média.

Pesquisas realizadas nas universidades Virginia Tech, em Cambridge e na Northwestern mostram que máscaras de tecidos são eficazes na proteção contra a Covid-19.

Com o Brasil prestes a alcançar a marca de 200 mil mortes pela doença, Bolsonaro não fez nenhum comentário sobre as mortes em sua transmissão, e focou suas críticas nas medidas tomadas por governadores e prefeitos que têm optado por fechar comércios e restringir a circulação de pessoas.

“O caos pode ser fazer presente. Com a equipe econômica, e mais alguns ministros, nós conseguimos evitar o caos. Mas se essa política de fechar , atingindo no coração a economia, nós podemos trazer o caos para cá. E esse inferno, essa assombração, está voltando, por irresponsabilidade de fechar tudo”, disse o presidente.

“Não vou tomar a vacina”

Bolsonaro voltou a afirmar que não tomará a vacina contra a Covid-19. Segundo o presidente, como ele já teve a doença, “não precisa”.

“No meu caso particular, como já fui infectado e já tenho anticorpos, eu não vou tomar a vacina”, disse Bolsonaro.