Brasil

Bolsonaro deve ficar fora da campanha no 1º turno no Brasil

Bolsonaro deve ficar fora da campanha no 1º turno no Brasil

SÃO PAULO, 14 SET (ANSA) – O candidato à Presidência da República no Brasil, Jair Bolsonaro (PSL-RJ), dificilmente voltará a fazer campanha de rua ou em vídeo durante o primeiro turno. O filho do líder nas pesquisas de intenção de voto, Flávio Bolsonaro, fez a afirmação nesta quinta-feira (13), em entrevista á rádio 97,1 FM, no Rio de Janeiro.

“Ele não está conseguindo nem falar direito, então não pode ir para a internet para fazer transmissão ao vivo. A orientação médica é que nem fale, porque quando fala acumula gases e pode ocasionar mais dor ainda”, disse Flávio.

“Ao que tudo indica, no primeiro turno não vai ter mais condições médicas de ir para a rua de novo. Praticamente impossível. A cirurgia de reconstituição do intestino dele vai acontecer daqui a dois meses ou mais, não tem como ir pra rua com a barriga aberta. É risco de infecção, é risco de arrebentar. É totalmente contraindicado”, ressaltou.

A participação na campanha de rua em um eventual segundo turno, que será realizado no dia 28 de outubro, também está ameaçada, o que forçou uma mudança na estratégia na campanha do militar da reserva. Segundo o jornal “O Globo”, para manter a candidatura em evidência, os integrantes da campanha vão se dividir para cumprir as agendas e reforçar, nas redes sociais, o discurso de que Bolsonaro poderá voltar às atividades no segundo turno. Os aliados também devem divulgar vídeos gravados antes da hospitalização do candidato.

O que aconteceu com Bolsonaro? – No último dia 6, o deputado federal pelo PSL levou uma facada na região abdominal durante atividade de campanha nas ruas de Juiz de Fora (MG). Ele foi atendido na Santa Casa da cidade onde passou por cirurgia. Na sexta-feira (7), o candidato foi transferido para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, a pedido da família.

Bolsonaro tinha recebido alta da UTI na última terça-feira (11), mas precisou passar por cirurgia de urgência na noite de quarta-feira (12), por ter apresentado distensão abdominal progressiva, sugerindo o diagnóstico de obstrução intestinal – confirmado por tomografia computadorizada.

Ele foi levado para a cirurgia de urgência onde foram desfeitas as aderências do intestino e liberado o ponto de obstrução. Os médicos cuidaram também de um extravasamento de secreção intestinal em uma das suturas realizadas anteriormente para correção dos ferimentos intestinais. (ANSA)