Brasil

Bolsonaro atribuiu à proximidade do carro de som a radicalização dos atos em SP


Em mais uma tentativa de minimizar a tensão entre os poderes, o presidente Jair Bolsonaro atribuiu à proximidade do carro de som a radicalização dos atos de 7 de setembro em São Paulo, marcados por pautas antidemocráticas e ameaças ao Supremo Tribunal Federal (STF).

“Logicamente, na Paulista, pela proximidade do carro de som, tudo ficou mais inflamado”, declarou Bolsonaro na noite desta quinta-feira, em transmissão ao vivo nas redes sociais, acrescentando que não trabalha pela reeleição.

Hoje, após uma conversa com o ex-presidente Michel Temer, Bolsonaro divulgou uma carta à nação pedindo harmonia entre os poderes e pregando o respeito às instituições.

Na live, o chefe do Planalto ainda admitiu que “teve gente bem de saúde” que morreu por covid-19. No início da pandemia, o presidente dizia que pessoas com histórico de atleta não seriam vitimadas pela doença.


Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais