Brasil

Bolsonaro afirma que acordo sobre Base de Alcântara foi ‘bastante penoso’

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 14, que o acordo sobre a Base de Alcântara (MA) foi “bastante penoso”. Em transmissão semanal ao vivo no Facebook, Bolsonaro afirmou que houve “a questão dos quilombolas locais”. Ele disse que foi feito um acordo com os quilombolas e que será priorizada a contratação de mão de obra dos moradores dessas comunidades para trabalhar na base. “Isso é muito bom para o Brasil”, afirmou.

Bolsonaro deu os parabéns aos presidentes do Congresso, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pela aprovação do acordo de salvaguardas tecnológicas de Alcântara. O presidente chamou Alcolumbre e Maia como os “donos da pauta” do Congresso. “Até que enfim, a Base de Alcântara vai lançar satélites e outros artefatos. O Brasil entra no seleto grupo de países que têm tecnologia para lançar satélites”, disse. Bolsonaro ressaltou que não haverá nenhum artefato nuclear. “Fiquem tranquilos”, disse.

“Até que enfim, depois de mais de 20 anos, nós assumimos o governo e conseguimos aprovar o acordo de salvaguardas tecnológicas da Base de Alcântara”, comemorou.

De acordo com o presidente, o acordo com os Estados Unidos foi “bastante amplo, bastante extenso, interessa para o Brasil, traz um lucro enorme para o País, que vai receber aluguéis quando lançar satélites”.