Economia

Bolsonaro admite sentir ‘dor no coração’ com privatizações, mas defende venda


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confessou que sente “dor no coração” ao realizar privatizações, mas justificou a medida pelo que chamou de presença de “socialistas” em empresas estatais. “Nós temos que acabar com o que para eles, da esquerda, sempre foi ninho de rato. São os parasitas, bernes e carrapatos”, disse a apoiadores nesta quinta-feira, 1º, na chegada do Palácio da Alvorada.

Entre as empresas, Bolsonaro destacou a privatização da Eletrobras, cuja proposta de capitalização foi aprovada pelo Congresso em junho. Segundo o presidente, o processo é um passo em direção ao “livre mercado”. Bolsonaro destacou experiências de controle estatal em outros países, como a Argentina, que proibiu a exportação de carne, como exemplos negativos de interferência.

“Não é dessa forma que resolve as questões macromacroeconômicas. São experiências que tivemos no passado com os mais variados planos econômicos, que não deram certo. Tem que ser o livre mercado”, disse.

Saiba mais
+ Mãe de Medina compara Yasmin Brunet a ‘atriz pornô’ e colunista divulga conversa
+ Chamada de atriz pornô, Yasmin Brunet irá processar mãe de Gabriel Medina
+ Mulher divide marido com mãe e irmã mais nova: ‘Quando não estou no clima’
+ Em pose sexy, Cleo Pires afirma: "Amando essa minha bunda grande"
+ Médicos encontram pedaço de cimento em coração de paciente durante cirurgia
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio