Economia

Bolsas europeias têm queda generalizada com avanço de coronavírus e dados fracos

As bolsas europeias operam em baixa generalizada na manhã desta sexta-feira, revertendo ganhos do começo do pregão, à medida que a epidemia de coronavírus continua se espalhando a outros países da região. O mau humor na Europa vem também na esteira de dados desanimadores de crescimento econômico da zona do euro e de seus integrantes.

Na China, onde a epidemia teve início, o coronavírus já infectou quase 9,7 mil pessoas e causou 213 mortes. Outros 20 países relataram casos da doença. No continente europeu, os casos mais recentes ocorreram no Reino Unido e na Itália.

Ontem, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a questão do coronavírus como situação de emergência global, mas se posicionou contra a adoção de restrições a comércio ou viagens, o que ajudou a impulsionar os mercados europeus na abertura dos negócios desta sexta.

No âmbito econômico, os últimos indicadores europeus também são preocupantes. O Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro cresceu 0,1% no quarto trimestre de 2019 ante os três meses anteriores, e a projeção de analistas era de alta um pouco maior, de 0,2%. No mesmo período, o PIB italiano encolheu 0,3% e o da França diminuiu 0,1%, também contrariando expectativas de desempenho melhor. Já o espanhol cresceu 0,5%. Na Alemanha, a maior economia da Europa, as vendas no varejo sofreram uma acentuada queda de 3,3% em dezembro ante novembro.

Ainda na zona do euro, a taxa anual de inflação ao consumidor acelerou de 1,3% em dezembro para 1,4% em janeiro, como se previa, mas permanece bem abaixo da meta do Banco Central Europeu (BCE), que é de um nível ligeiramente inferior a 2%.

Hoje é também um dia histórico porque o Reino Unido vai deixar a União Europeia nas próximas horas, dentro do processo conhecido como “Brexit”, que foi inicialmente aprovado em consulta popular realizada em junho de 2016.

Às 8h02 (de Brasília), a Bolsa de Milão liderava o movimento de desvalorização na Europa, com queda de 1,44%. Já a de Londres caía 0,81%, a de Frankfurt recuava 0,32% e a de Paris cedia 0,55%. Em Madri e Lisboa, as perdas eram de 0,89% e 0,14%, respectivamente. No câmbio, o euro caía a US$ 1,1029, de US$ 1,1038 no fim da tarde de ontem, mas a libra se fortalecia a US$ 1,3104, de US$ 1,3095 ontem, ainda sustentada pela decisão do Banco da Inglaterra (BoE) ontem de manter seu juro básico em 0,75%. Com informações da Dow Jones Newswires.

Veja também

+ Coronel da PM diz que Bolsonaro é ‘falastrão’ e renuncia à entidade de Oficiais
+ Fundador da Ricardo Eletro e filha são presos em operação contra sonegação
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior

Tópicos

bolsas Europa manhã