Economia

Bolsas de NY sobem, após Fed manter juros sem mostrar pressa por aperto monetário

As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta quarta-feira, 11, após o Federal Reserve (Fed, banco central americano) manter inalterada a taxa dos Fed funds, em decisão unânime. A falta de pressa para elevação de juros, mesmo com uma perspectiva otimista para a economia americana, ajudou a acelerar os ganhos no mercado acionário, que seguia até então em compasso de espera.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,11%, em 27.911,30 pontos, o Nasdaq avançou 0,44%, a 8.654,05 pontos, e o S&P 500 subiu 0,29%, a 3.141,61 pontos.

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Fed manteve os juros dos Fed funds na faixa entre 1,50% e 1,75%, após uma sequência de três cortes de juros consecutivos. Segundo o Fed, a atividade econômica se expande “moderadamente”, com um mercado de trabalho ainda forte e o núcleo da inflação abaixo da meta de 2%.

As bolsas de Nova York ganharam força e atingiram máximas no dia, em meio às declarações do presidente do Fed, Jerome Powell. Ele disse que será preciso uma “alta persistente na inflação” dos Estados Unidos antes de uma nova elevação da taxa básica de juros, além de mencionar riscos à perspectiva, sobretudo vindo do exterior, que poderiam amparar eventualmente mais relaxamento monetário mais adiante.

Powell não descartou alta de juros no futuro, como previsto pelas projeções da instituição em seu “gráfico de pontos”, mas também ressaltou as incertezas: “Há altas de juros [previstas] no futuro, mas é difícil saber como será”, comentou.

+ Consulado chinês nos EUA é fechado e provoca nova crise
+ As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

Para o Wells Fargo, os EUA não devem chegar a um acordo comercial com a China, o que pode levar o Fed a cortar os juros em breve. O Wells Fargo afirma em relatório que projeta um corte de juros de 25 pontos-base já no primeiro trimestre de 2020.

Entre os setores em Nova York, destaque para os de serviços de comunicação e tecnologia. Os papéis do Twitter apresentaram valorização de 2,38%, Apple teve alta de 0,85% e Netflix, de 1,98%.

Ainda no mercado acionário, ganhou destaque o início de negociações das ações da XP na Nasdaq. A empresa encerrou o pregão com valor de mercado de US$ 19 bilhões, ou mais de R$ 80 bilhões. A ação encerrou com alta de 27,63%, a US$ 34,46. O papel foi precificado ontem em US$ 27, acima da faixa indicativa de preço, por conta da elevada demanda.

Os recursos captados por meio de ofertas públicas iniciais (IPO) na Nasdaq, neste ano, vão superar os valores captados pela Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) pela primeira vez desde 2012, quando ocorreu a oferta do Facebook. O total de recursos captados pela Nasdaq somou US$ 32,4 bilhões, ante os US$ 26,2 bilhões para os IPOs na NYSE, segundo dados da consultoria Dealogic divulgados pelo jornal The Wall Street Journal (WSJ). / COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES

Veja também

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?