Economia

Bolsas de NY fecham queda; investidores avaliam inflação e possíveis ações do Fed


As bolsas de Nova York fecharam em baixa nesta segunda-feira, com o temor de inflação nos Estados Unidos, que impactou os mercados na semana passada e segue no foco dos investidores, que estão avaliando a postura do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano). As empresas de tecnologia estiveram entre as mais impactadas. Além disso, os rendimentos dos Treasuries de longo prazo subiram durante grande parte da sessão, o que prejudica os papéis do setor.

O Dow Jones fechou em baixa de 0,16%, a 34.327,79 pontos, enquanto o S&P 500 caiu 0,25%, a 4.163,29 pontos, e o Nasdaq recuou 0,38%, a 13.379,05 pontos.

Os investidores avaliam a possibilidade do Fed agir em resposta à inflação com a retirada de estímulos, que impulsionaram os mercados nos últimos tempos.

“Até agora, o mantra do Fed tem sido minimizar o fatores impulsionadores como transitórios, mas os mercados ficarão de olho em uma série de discursos do Fed esta semana para saber se as mensagens mudaram”, observa o Danske Bank.

Nesta segunda-feira, o presidente da distrital de Atlanta, Raphael Bostic, admitiu que, nos próximos meses, será difícil ter uma leitura acurada da inflação, por conta da base de comparação fraca. O vice-presidente do Fed, Richard Clarida, também ressaltou o caráter transitório do movimento, mas disse que ficará atento.

Avaliando as possíveis reações do Fed à alta da inflação, investidores se desfizeram de Treasuries nesta manhã e, como consequência, os rendimentos subiram. Como historicamente tendem a pagar menos dividendos que outros setores, as empresas de tecnologia costumam ficar em desvantagem quando há aumento sustentado dos juros de títulos públicos. Facebook (-0,15%), Apple (-0,93%) e Microsoft (-1,20%) recuaram.

As ações da Tesla cederam mais vez, caindo 2,19%, seguindo posturas públicas de Elon Musk. Nesta segunda, o CEO da Tesla negou no Twitter que a empresa tenha vendido suas reservas de Bitcoin, depois de ter dado a entender o contrário no dia anterior. Outra queda relevante foi da Airbnb, com os papéis recuando 6,16% depois que, no final da última semana, uma série de bancos reduziu seus valores de recomendação para compra das ações da empresa.

A AT&T confirmou, nesta segunda-feira, o fechamento de um acordo que prevê a fusão de seu braço de mídia, a WarnerMedia, com a Discovery. Se aprovada por reguladores antitruste, a operação vai gerar uma nova empresa que competirá com gigantes do setor de entretenimento, como Walt Disney e Netflix. As ações das empresas chegaram a ter alta antes da abertura do mercado, mas encerraram em queda. A AT&T teve baixa de 2,70% e o papel da Discovery, por sua vez, recuou 5,05%.

*Com informações Dow Jones Newswires.

+ Sabrina Sato aparece com micro biquíni e surpreende seguidores

+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça

Veja também
+ Deputado dos EUA sugere mudar órbita da Lua para combater aquecimento
+ Ex-parceiro de Cristiano Araújo é encontrado morto
+ Policial militar mata a tiros quatro pessoas em pizzaria de Porto Alegre
+ Sérgio Mallandro diz que atrapalhou sexo de Xuxa com Ayrton Senna
+ Mano Brown se irrita com possível acerto do Santos com volante do Corinthians: ‘Tá tirando’
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago