Economia

Bolsas da Europa fecham na maioria em alta, com foco em dados da China e empresas

As bolsas europeias fecharam na maioria com ganhos nesta segunda-feira, dia 15, em uma sessão marcada pelo fôlego em geral modesto dos índices e pelos poucos catalisadores. Ainda assim, algumas notícias do setor corporativo estiveram em foco. No câmbio, a libra e o euro se enfraqueceram durante o pregão, o que tende a beneficiar ações de exportadoras do continente, enquanto mineradoras foram apoiadas em Londres pela expectativa de estímulos da China após a divulgação de dados da potência asiática.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,36%, em 388,24 pontos. Em parte do pregão, o índice chegou a oscilar bem perto da estabilidade. O apetite por risco foi beneficiado, contudo, pela expectativa de que, diante de dados modestos como a leitura do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre divulgada mais cedo, a China continue a apoiar a economia.

Entre ações em foco, Galapagos subiu 18,77% na Bolsa de Amsterdã. A companhia do setor de biotecnologia registrou forte alta após receber uma grande injeção de capital. A Gilead Sciences disse que pagará US$ 5,1 bilhões para aumentar sua participação na Galapagos e ganhar direitos fora da Europa a seus tratamentos em desenvolvimento.

Em Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,34%, em 7.531,72 pontos. As mineradoras foram apoiadas pela expectativa de estímulos chineses mais adiante. Glencore subiu 0,96%, Antofagasta avançou 4,01%, BHP ganhou 0,93% e Rio Tinto, 1,24%. Entre outros papéis em foco, a companhia de entregas Just Eat se destacou, em alta de 4,3%, mas a empresa de softwares Micro Focus International recuou 5,7%.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX avançou 0,52%, a 12.387,34 pontos, interrompendo uma sequência de seis quedas consecutivas. Entre os papéis mais negociados, Deutsche Bank subiu 1,91%, recuperando parte das perdas recentes, mas Deutsche Telekom recuou 1,22%.

O índice CAC-40 fechou com ganho de 0,10%, em 5.578,21 pontos, na Bolsa de Paris. No setor bancário, Crédit Agricole subiu 0,14% e Société Générale, 0,37%. A petroleira Total ganhou 0,44%; Carrefour, porém, recuou 0,17%.

Em Milão, o índice FTSE-MIB teve baixa de 0,02%, a 22.178,05 pontos. O setor bancário italiano ficou pressionado: Intesa Sanpaolo caiu 0,12%, Banco BPM cedeu 2,29%, Monte dei Paschi di Siena registrou queda de 6,58% e UniCredit, de 0,88%.

Na Bolsa de Madri, o índice IBEX-35 subiu 0,33%, a 9.323,60 pontos, e em Lisboa o índice PSI-20 avançou 0,74%, a 5.260,02 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires.

Tópicos

Bolas de Valores