Economia

Bolsas da Europa fecham em alta, em compasso de espera para Fed e BCE

As bolsas da Europa fecharam em alta nesta quarta-feira, 11, com investidores internacionais em compasso de espera para a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed), que será anunciada hoje às 16 horas (de Brasília). Amanhã também haverá publicação de decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), mesmo dia de eleições gerais antecipadas no Reino Unido. Ainda no radar do mercado está a guerra comercial entre Estados Unidos e China. Vence, no domingo, 15, o prazo para que os EUA imponham tarifas adicionais a mais US$ 156 bilhões em importações da China, mas há relatos de que essa elevação de alíquotas poderá ser adiada.

+ Mourão, sobre ser vice de Bolsonaro em 2022: ‘Estou trabalhando para isso’

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,22%, em 406,22 pontos.

As bolsas europeias oscilaram entre perdas e ganhos ao longo do dia, e a bolsa de Londres chegou a inverter para o território positivo bem perto do fechamento. A movimentação demonstra cautela, principalmente para as projeções do Fed para a economia dos EUA, divulgadas junto com o comunicado de política monetária (espera-se a manutenção da taxa de juros americana). Também será publicado logo mais o “gráfico de pontos”, que traz as perspectivas dos dirigentes do Fed para o futuro da taxa dos Fed funds.

As expectativas dos investidores também giram em torno da primeira fala da nova presidente do BCE, Christine Lagarde, após decisão de política monetária divulgada nesta quinta. E ainda estão no radar as eleições no Reino Unido, que se prepara para o Brexit (saída do bloco europeu). Pesquisas apontam que o governista Partido Conservador é o favorito.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou bem perto da estabilidade, em leve alta de 0,03%, em 7.216,25 pontos. As ações da Barclays perderam 0,86%, os papéis da BP se desvalorizaram 1,29%. Já a BHP teve valorização de 1,08%.

Em Frankfurt, o índice DAX avançou 0,58%, a 13.146,74 pontos. Destaque para os papéis da BMW que se valorizaram 1,38% e os papéis da Deutsche Bank subiram 1,16%.

As tensões comerciais globais contêm os ganhos nos mercados acionários. De acordo com informações da CNBC, divulgadas hoje, a China quer que a elevação de tarifas dos EUA a produtos do país asiático, programadas para domingo, 15, sejam canceladas para continuar negociando um acordo comercial de “fase 1” com Washington. O governo chinês estaria “extremamente relutante” em se comprometer a comprar grandes volumes de produtos agrícolas dos EUA, relata a emissora americana.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 subiu 0,22%, a 5.860,88 pontos. Em Milão, o índice FTSE-MIB avançou 0,14%, a 23.155,64 pontos.

Em Madri, o índice Ibex-35 fechou em alta de 0,77%, em 9.392,50 pontos. Em Lisboa, o PSI-20 fechou bem perto da estabilidade, em leve alta de 0,01%, a 5.148,97 pontos.

Veja também

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Ford anuncia local e investimento de US$ 700 milhões em fábrica que criará F-150 elétrico

+ Hubble mostra nova imagem de Júpiter e sua lua Europa

+ RJ: tráfico promete caçar quem gravou equipe do Bravo da Rocinha: ‘Vai morrer’

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea