Finanças

Bolsas da Europa fecham em alta, com bancos e dados positivos da zona do euro

Os mercados acionários europeus fecharam em alta no primeiro pregão do segundo semestre do ano, com uma versão mais otimista para o restante de 2017. Ações de instituições financeiras contribuíram para os ganhos, com os investidores também analisando diversos dados da economia da zona do euro.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 1,10% (+4,17 pontos), aos 383,54 pontos.

A tendência de recuperação da atividade na zona do euro foi reforçada nesta segunda-feira, 3, com a divulgação de dados da economia europeia. De acordo com a IHS Markit, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial da zona do euro subiu de 57,0 em maio para 57,4 no mês passado.

O resultado veio acima das projeções dos analistas (57,3) e também é o maior em 74 meses, com destaque para a recuperação na Grécia. Na Alemanha, o indicador subiu de 59,5 para 59,6 no mesmo período, enquanto os economistas previam baixa para 59,3. Este é o sexto mês de expansão consecutivo do indicador da maior economia europeia.

A economia do Reino Unido, no entanto, dá cada vez mais sinais de que está desacelerando, em um cenário de início das negociações da saída dos britânicos da União Europeia, processo conhecido como Brexit. Segundo a IHS Markit, o PMI industrial do Reino Unido recuou de 56,3 em maio para 54,3 em junho, contrariando as apostas de elevação para 56,5. O indicador está no menor nível dos últimos três meses.

Na França, o índice passou de 43,8 para 54,8 nos mesmos meses em questão, levemente acima das expectativas de avanço der 55,0 do indicador.

Em Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,88%, aos 7.377,09 pontos. Esta segunda-feira marcou o início de julgamento de fraude do Barclays e de quatro ex-executivos do banco em relação a uma conduta dos envolvidos em investimentos do Oriente Médio, que resgataram o Barclays no auge da crise financeira. As ações do banco subiram 2,12%. Outros bancos também avançaram, como o HSBC (+2,54%) e o Lloyds (+0,85%).

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, subiu 1,47%, aos 5.195,72 pontos. Na praça, os papéis da Total fecharam em alta de 2,01%, após a petrolífera francesa anunciar um acordo feito com o Irã para a exploração de gás natural liquefeito. Entre os bancos, o Crédit Agricole ganhou 2,73% e o Société Générale teve expansão de 2,66%.

Já em Frankfurt, o índice DAX fechou em alta de 1,22%, aos 12.475,31 pontos, também impulsionado por papéis de instituições financeiras, como o Deutsche Bank (+3,67%) e o Commerzbank (+4,27%). Já em Milão, o índice FTSE-Mib avançou 2,08%, aos 21.013,14 pontos, com o Intensa Sanpaolo ganhando 2,67% e o Unicredit subindo 3,85%.

O índice Ibex-35, da Bolsa de Madri, avançou 1,53%, aos 10.604,20 pontos. Já em Lisboa, o índice PSI-20 ganhou 0,53%, aos 5.180,43 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires)