Economia

Bolsas da Ásia fecham mistas, após mais sinais de desaceleração da China

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta segunda-feira, 16, após a China revelar mais dados econômicos fracos resultantes de medidas contra a covid-19.

Em abril ante igual mês do ano passado, a produção industrial chinesa teve uma inesperada queda de 2,9%, enquanto as vendas no varejo sofreram um tombo de 11,1%, bem maior do que se previa. Os números vêm num momento em que Pequim mantém uma política de “tolerância zero” contra a atual onda de covid-19, a pior já enfrentada pelo país.


Apesar dos novos sinais de forte desaceleração, o banco central chinês (PBoC) decidiu hoje deixar algumas de suas principais taxas de juros inalteradas.

As perdas nos mercados da China continental, porém, forem contidas, um dia após a cidade de Xangai anunciar o relaxamento de restrições contra a covid-19, com a reabertura de supermercados, centros comerciais e restaurantes, ainda que de forma limitada. O índice Xangai Composto recuou 0,34%, a 3.073,75 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto caiu 0,28%, a 1.926,01 pontos.

Em outras partes da Ásia, o sul-coreano Kospi teve queda de 0,29% em Seul, a 2.596,58 pontos, mas o japonês Nikkei subiu 0,45% em Tóquio, a 26.547,05 pontos, o Hang Seng avançou 0,26% em Hong Kong, a 19.950,21 pontos, e o Taiex registrou ganho de 0,43% em Taiwan, a 15.901,04 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no azul, com alta de 0,25% do S&P/ASX 200 em Sydney, a 7.093,00 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires.