Economia

Bolsas da Ásia fecham majoritariamente em alta, esperando acordo fiscal nos EUA

As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam majoritariamente em alta nesta quarta-feira, à medida que investidores se mantiveram esperançosos de que o governo dos EUA e a oposição democrata consigam fechar um acordo sobre um novo pacote fiscal para lidar com os efeitos econômicos do coronavírus.

O índice acionário japonês Nikkei subiu 0,31% em Tóquio, a 23.639,46 pontos, enquanto o Hang Seng avançou 0,75% em Hong Kong, a 24.754,42 pontos, o sul-coreano Kospi se valorizou 0,53% em Seul, a 2.370,86 pontos, e o Taiex registrou leve ganho de 0,12%, a 12.877,25 pontos.

Na terça-feira, o governo americano e os democratas deram sinais de que estão mais próximos de um acerto para lançar um novo pacote trilionário de estímulos fiscais, em reação aos impactos da pandemia de covid-19. A presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, retomam negociações nas próximas horas.

Exceção na Ásia, os mercados chineses ficaram no vermelho hoje, pressionados por ações de energia renovável e de tecnologia. O Xangai Composto teve baixa marginal de 0,09%, a 3.325,02 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 1,10%, a 2.254,23 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana seguiu o tom predominante da região asiática, e o S&P/ASX 200 avançou 0,12% em Sydney, a 6.191,80 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires).

Veja também

+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel