Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

As bolsas asiáticas fecharam em baixa nesta quarta-feira, 29, após Wall Street sofrer uma nova rodada de fortes perdas na terça-feira em meio a incertezas sobre inflação, altas de juros e uma possível recessão nos EUA.

O índice acionário japonês Nikkei caiu 0,91% em Tóquio hoje, a 26.804,60 pontos, enquanto o Hang Seng recuou 1,88% em Hong Kong, a 21.996,89 pontos, o sul-coreano Kospi perdeu 1,82% em Seul, a 2.377,99 pontos, e o Taiex cedeu 1,29% em Taiwan, a 15.240,13 pontos.

Na China continental, o Xangai Composto teve baixa de 1,40%, a 3.361,52 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto mostrou queda ainda mais expressiva, de 2,20%, a 2.194,51 pontos. Em pregões recentes, as ações chinesas haviam sido impulsionadas por iniciativas de Pequim de aliviar restrições motivadas pela covid-19.

O mau humor na Ásia veio após as bolsas de Nova York caírem até quase 3% ontem, na esteira de um indicador fraco de confiança dos EUA e de comentários sugerindo que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) manterá sua agressiva postura de aperto monetário.

Há duas semanas, o Fed anunciou seu maior aumento de juros desde 1994, em nova tentativa de conter a disparada da inflação doméstica, alimentando temores de que a maior economia do mundo entre em recessão.

Na Oceania, a bolsa também ficou no vermelho hoje, interrompendo uma sequência de quatro sessões positivas. Pressionado por ações de grandes mineradoras, o S&P/ASX 200 caiu 0,94% em Sydney, a 6.700,20 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires.