Economia

Bolsas asiáticas fecham sem direção única, de olho em EUA-China e protestos em HK

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quinta-feira, em meio a dúvidas sobre a capacidade de Estados Unidos e China de superarem suas desavenças comerciais e protestos em Hong Kong que pressionaram o mercado local pelo segundo dia consecutivo, embora o Hang Seng tenha praticamente zerado as perdas no fim do pregão.

Entre os mercados chineses, o índice Xangai Composto ficou perto da estabilidade, com alta marginal de 0,05%, a 2.910,74 pontos. Já o menos líquido Shenzhen Composto teve modesta valorização de 0,29%, a 1.532,79 pontos.

Em Hong Kong, o Hang Seng caiu 0,05%, a 27.294,71 pontos, depois de chegar a registrar queda de 1% no começo dos negócios, em reação a violentos confrontos entre a polícia local e manifestantes contrários a um polêmico projeto de lei que propõe a extradição de supostos criminosos para a China continental. A votação da proposta foi adiada.

O impasse nas negociações comerciais entre EUA e China continua no radar, após o recente endurecimento da retórica pelos governos de ambos os países.

Nos últimos dias, o Secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, alertou que um eventual encontro entre os presidentes americano, Donald Trump, e da China, Xi Jinping, às margens da reunião de cúpula do G20 marcada para o fim deste mês no Japão, não levará a um acordo comercial definitivo entre as duas maiores economias do mundo.

O diálogo comercial sino-americano foi interrompido semanas atrás, após surgirem divergências sobre determinados pontos do acordo que estava em discussão.

Em outras partes da Ásia, o japonês Nikkei recuou 0,46% em Tóquio hoje, a 21.032,00 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi cedeu 0,27% em Seul, a 2.103,15 pontos, e o Taiex caiu 0,51% em Taiwan, a 10.561,01 pontos.

Na Oceania, a bolsa da Austrália teve ligeira baixa de 0,02%, com o índice S&P/ASX 200 a 6.542,40 pontos.

Tanto o mercado japonês quanto o australiano foram pressionados por ações de petrolíferas, que caíram na esteira de tombos de 3,7% a 4% nos preços do petróleo ontem. Em Tóquio, o segmento de petróleo e gás teve queda de 2,8%, enquanto em Sydney a perda do setor de energia foi de 2,4%. Com informações da Dow Jones Newswires.