Finanças

Bolsas asiáticas fecham sem direção única após PMI chinês

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quarta-feira, com algumas delas sustentadas por dados positivos chineses. Na Oceania, o mercado australiano interrompeu uma trajetória negativa recente, em meio ao forte avanço do petróleo durante a madrugada.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng garantiu modesta alta de 0,15%, a 20.206,67 pontos, após pesquisa da Caixin Media e da Markit Economics mostrar que o índice de gerentes de compras (PMI) de serviços da China avançou para 52,2 em março, de 51,2 em fevereiro, indicando que o setor se expande em ritmo mais forte.

Na China continental, o Shenzhen Composto subiu 0,5%, a 1.961,71 pontos, ampliando os ganhos de 2,6% da sessão anterior.

Já o principal índice acionário chinês, o Xangai Composto, teve baixa marginal de 0,1%, a 3.050,59 pontos, após uma sessão volátil e de avançar 1,5% nos negócios de ontem.

Entre outros mercados asiáticos, o sul-coreano Kospi subiu 0,44% em Seul, a 1.971,32 pontos, mas o Nikkei registrou leve queda de 0,11% em Tóquio, a 15.715,36 pontos, o filipino PSEi recuou 0,54% em Manila, a 7.180,55 pontos, e o Taiex registrou perda mais expressiva em Taiwan, de 1,7%, a 8.513,3 pontos, pressionado por ações de tecnologia.

A recuperação do petróleo, que operou em forte alta ao longo da madrugada, ampliando os ganhos moderados da sessão de ontem, impulsionou a bolsa australiana, a principal da Oceania. O índice S&P/ASX 200 avançou 0,4% em Sydney, a 4.945,90 pontos, depois de acumular perdas por três pregões seguidos. Apenas a cesta australiana de ações de energia saltou 3,2%, apagando parte da desvalorização recente.

Os negócios na Ásia e do Pacífico também foram marcados por um sentimento de cautela antes da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA). No encontro de março, o Fed decidiu manter seus juros básicos inalterados, diante dos sinais de desaceleração da economia global. O Fed publica a ata na tarde de hoje, às 15h (de Brasília). Com informações da Dow Jones Newswires.