Economia

Bolsas asiáticas fecham majoritariamente em baixa após PIB chinês fraco

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta sexta-feira, após a China divulgar sua taxa de crescimento mais fraca em 27 anos, num momento em que tenta superar uma prolongada rixa comercial com os Estados Unidos.

Nos negócios da China continental, o índice Xangai Composto caiu 1,32% hoje, a 2.938,14 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 1,17%, a 1.616,72 pontos. Em Hong Kong, o Hang Seng teve queda de 0,48%, a 26.719,58 pontos.

Dados oficiais publicados nesta sexta (pelo horário local) mostraram que a expansão anual do Produto Interno Bruto (PIB) chinês desacelerou para 6% no terceiro trimestre, registrando seu pior desempenho numa série histórica iniciada em 1992. Analistas consultados pelo The Wall Street Journal previam ganho anual de 6,1% entre julho e setembro. No segundo trimestre, o PIB chinês havia crescido 6,2% na comparação anual.

A desaceleração da China vem em meio a uma grave disputa comercial com os Estados Unidos, que se arrasta desde meados do ano passado. Há uma semana, os dois países anunciaram a “fase 1” de um acordo comercial preliminar. O pacto, contudo, ainda está em fase de elaboração.

Outros indicadores chineses, porém, foram mais animadores. A produção industrial de setembro subiu 5,8% na comparação anual, superando de longe a projeção de economistas de um acréscimo de 4,9%. Já as vendas no varejo avançaram 7,8% em setembro ante igual mês do ano passado, como se previa. Os investimentos em ativos fixos, por sua vez, aumentaram 5,4% entre janeiro e setembro ante o mesmo período de 2018, resultado que também veio em linha com as expectativas.

Em outras partes da Ásia, o japonês Nikkei foi exceção positiva hoje, com modesta alta de 0,18% em Tóquio, a 22.492,68 pontos, mas o sul-coreano Kospi caiu 0,83% em Seul, a 2.060,69 pontos, e o Taiex registrou ligeira baixa de 0,06% em Taiwan, a 11.180,22 pontos.

Com os dados da China, o fechamento na manhã de ontem de um novo acordo de Brexit entre União Europeia e Reino Unido acabou ficando em segundo plano na região asiática. Neste sábado, o acordo será submetido à aprovação do Parlamento britânico.

Na Oceania, a bolsa da Austrália – país que tem a China como maior parceiro comercial – ficou no vermelho pelo segundo dia consecutivo. O S&P/ASX 200 recuou 0,52% em Sydney, a 6.649,70 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires.