Economia

Bolsas asiáticas fecham em alta robusta, com possível acordo comercial EUA-China

As bolsas asiáticas fecharam com ganhos robustos nesta sexta-feira, após relatos da imprensa americana de que EUA e China teriam selado um acordo comercial preliminar.

O índice Hang Seng liderou os ganhos na região, com um salto de 2,57% em Hong Kong, a 27.687,76 pontos, e o japonês Nikkei teve valorização bem semelhante em Tóquio, de 2,55%, a 24.023,10 pontos.

O bom humor veio após múltiplos sinais de que EUA e China estariam perto ou já teriam fechado um acordo comercial “de fase 1”. De acordo com fontes da Bloomberg, o presidente americano, Donald Trump, assinou um acordo com os chineses que prevê o adiamento do novo aumento de tarifas dos EUA a mais US$ 156 bilhões em importações da China, que estava programado para domingo (15). Já a Reuters, também citando fontes, relatou que Pequim aceitou comprar US$ 50 bilhões em produtos agrícolas dos EUA em 2020, como parte do acerto.

Antes disso, Trump havia anunciado no Twitter que os EUA estavam muito próximos de um “grande acordo” com a China e o The Wall Street Journal noticiou que negociadores americanos teriam oferecido um corte de até 50% em tarifas sobre US$ 360 bilhões em bens chineses.

Nos negócios da China continental, o Xangai Composto subiu 1,78% hoje, a 2.967,68 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,48%, a 1.660,55 pontos.

Em outras partes da Ásia, o sul-coreano Kospi teve alta de 1,54% em Seul, a 2.170,25 pontos, e o Taiex registrou ganho de 0,77% em Taiwan, a 11.927,73 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana foi igualmente beneficiada pelo otimismo gerado por um possível acordo sino-americano. O S&P/ASX 200 avançou 0,46% em Sydney, a 6.739,70 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires.