Economia

Bolsa de Tóquio sofre maior queda em 5 meses; outros mercados da Ásia não operam

A Bolsa de Tóquio sofreu sua maior queda em cinco meses nesta segunda-feira, à medida que investidores mantêm a cautela em meio à rápida disseminação do surto de coronavírus que teve início na cidade chinesa de Wuhan.

O índice acionário japonês Nikkei terminou o pregão em baixa de 2,03% – a maior desde 26 de agosto de 2019 -, a 23.343,51 pontos. Ações ligadas ao turismo chinês foram fortemente afetadas depois que o governo da China suspendeu viagens ao exterior de grupos turísticos. A Oriental Land, operadora do parque temático da Disney em Tóquio, caiu 7,8%, e a Japan Airlines recuou 3,9%.

Feriados em outras partes da Ásia e do Pacífico mantiveram fechados hoje os mercados de China, Hong Kong, Taiwan, Coreia do Sul e Austrália.

O coronavírus já infectou mais de 2.700 pessoas e causou a morte de ao menos 80 na China. Além disso, há casos confirmados da doença em outros 14 países, incluindo EUA, França e Japão.

Numa tentativa de conter a epidemia de coronavírus, a China decidiu hoje ampliar em três dias o feriado do ano-novo lunar, que normalmente se estende por uma semana e terminaria na quinta-feira. Com informações da Dow Jones Newswires.