Comportamento

Bolívia e Paraguai unem esforços para apagar incêndio florestal

Bolívia e Paraguai unem esforços para apagar incêndio florestal

Bombeiros combatem incêndio nos arredores de Robore, província de Santa Cruz, no leste da Bolívia - Bolivia's Defence Ministry/AFP

A Bolívia e o Paraguai concordaram em unir esforços para combater os gigantescos incêndios florestais que atingem os dois territórios e atacam a flora e a fauna, informou nesta quinta-feira o ministro do Meio Ambiente e da Água da Bolívia, Carlos Ortuño.

A área afetada por incêndios no departamento boliviano de Santa Cruz (leste) atinge 654 mil hectares, enquanto no Paraguai os focos, na fronteira entre as duas nações, ainda não foram quantificados.

“Estamos em contato com nossos pares na República do Paraguai, temos o compromisso de trabalhar juntos em ambos os países, tanto no território boliviano como no território paraguaio”, disse Ortuño em coletiva de imprensa em Santa Cruz.

O funcionário acrescentou que no momento as autoridades dos dois países estão “em plena implementação de medidas de contingência”, que ele não citou.

Por outro lado, o chefe da Defesa Nacional da Bolívia, Javier Zabaleta, disse que a chegada do avião tanque SuperTanker, inicialmente prevista para hoje, foi adiada para sexta-feira.

A aeronave “começará a operar nas (cidades de) Charagua e Puerto Busch. São cerca de 40 km2 onde o fogo está queimando incontrolavelmente, acreditamos que com o avião poderemos extinguir essas fontes de calor”, afirmou Zabaleta.

Enquanto isso, o governador de Santa Cruz, Rubén Costas, depositou suas esperanças no trabalho do avião tanque e dos socorristas, bombeiros, policiais, militares e civis voluntários que trabalham na zona.

“Não há previsão de chuva nos próximos dias, o que faz com que tenhamos mais responsabilidade”, disse ele.

Os incêndios foram causados na Bolívia pela queima de campos cultivados, uma prática ancestral chamada “chaqueo”, segundo a qual a cinza melhora a qualidade da terra para o plantio.