Mundo

Bolívia abole reprovação de estudantes em 2020 por pandemia

Bolívia abole reprovação de estudantes em 2020 por pandemia

O professor boliviano Wilgredo Negrete Jardin dá aula para uma aluna em sua casa em Aiquile, no departamento de Cochabamba, Bolívia, 12 de junho de 2020 - AFP/Arquivos

Os estudantes da Bolívia não serão reprovados este ano, devido à situação crítica provocada pela pandemia do novo coronavírus, anunciou neste domingo (12) o ministro da Educação, Víctor Hugo Cárdenas.

“Este ano não haverá reprovação alguma de nenhum estudante nos níveis pré-escolares, fundamental e médio”, disse o ministro em coletiva de imprensa.

Ele justificou a decisão pela situação causada pela pandemia da COVID-19. Neste contexto, “não é admissível falar de reprovação dos estudantes”, destacou.

Professores e pais de alunos questionam a suspensão das aulas presenciais e a passagem para a educação à distância devido ao alto número de lares que carecem de conexão à internet ou de seu custo em um momento em que a renda das famílias minguou devido à diminuição da atividade econômica.

Professores rurais iniciaram na sexta-feira em Lahuanchaca (a 125 Km de La Paz) uma marcha até a sede do governo para exigir um recuo do governo e a renúncia do ministro da Educação.

+ Menina engasga ao comer máscara dentro de nugget do McDonald’s

“As exposições dos dirigentes saem do campo educacional e entram perigosamente no território da política, no questionamento ao governo e na desestabilização da convivência democrática”, afirmou Cárdenas.

Dirigentes da Central Operária Boliviana, principal organização sindical do país, vinculada ao ex-presidente Evo Morales, convocaram para a terça-feira um protesto para defender o caráter público da saúde e da educação.

Cárdenas lamentou que os professores não tenham respondido ao seu convite de dialogar com a mediação da Igreja Católica e que insistam no “retorno imediato às aulas presenciais”, quando a curva da pandemia está em ascensão.

A COVID-19 deixou até agora na Bolívia 1.754 mortos e mais de 47.000 contágios.

O ministro advertiu para a possibilidade de um encerramento antecipado do ano escolar caso persistam as pressões sindicais.

“Se a teimosia e a polarização da dirigência do magistério continuarem, o cenário do encerramento do ano escolar é uma alternativa”, disse.

Veja também

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Jack Daniel’s com maçã começa a ser vendido no Brasil

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Gésio Amadeu, o Chefe Chico de Chiquititas, morre após contrair Covid-19

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?