Mundo

Boca de urna aponta vitória folgada de Lukashenko em Belarus

MOSCOU, 9 AGO (ANSA) – Uma pesquisa de boca de urna apontou que o presidente de Belarus, Aleksandr Lukashenko, considerado por muitos como o “último ditador da Europa”, teve 79,7% dos votos nas eleições deste domingo (9).   

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

No poder desde julho de 1994, Lukashenko tenta garantir seu sexto mandato consecutivo, em um pleito marcado pelas prisões de opositores e pelas proibições de candidaturas de potenciais rivais do presidente.   

A boca de urna foi divulgada pela emissora MIR e confirmaria uma vitória folgada do mandatário, apesar dos protestos que reuniram milhares de pessoas no país nas últimas semanas.   

Ao todo, cinco candidatos disputam a Presidência, com destaque para Svetlana Tikhanovskaya, esposa de Sergey Tikhanovsky, encarcerado e impedido de concorrer nas eleições. Nos últimos meses, Belarus foi palco de diversos protestos contra Lukashenko, e, assim como Tikhanovsky, muitos opositores foram presos ou proibidos de disputar o pleito.   

As urnas foram abertas na terça-feira (4), mas Tikhanovskaya pediu para seus apoiadores votarem apenas neste domingo, para tentar limitar fraudes e manipulações. A popularidade do autocrata despencou por causa da crise econômica e de sua postura negacionista na pandemia do novo coronavírus.   

Ainda assim, no comando da máquina pública há 26 anos, Lukashenko sempre foi o favorito para a vitória, embora possa sair das urnas enfraquecido politicamente. Por razões de segurança, Tikhanovskaya não passou a última noite em seu apartamento, já que diversos membros de seu comitê foram detidos nos últimos dias.   

O próprio Lukashenko admitiu que a comunidade internacional não deve reconhecer a validade das eleições. “Não esperem que se inclinem e nos digam: ‘Você está indo muito bem, Belarus’. Não queremos que falem mal de nós, mas olharemos apenas para os interesses do povo bielorrusso”, disse o presidente, após depositar seu voto em um colégio eleitoral em Minsk. (ANSA).   

Veja também

+Após ficar internada, mulher descobre traição da mãe com seu marido: ‘Agora estão casados’

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea