Esportes

Bilheteria do estádio do Palmeiras é pichada; Mattos e Galiotte são alvos

Crédito: Reprodução

Bilheteria do Palmeiras pichada (Crédito: Reprodução)

A desclassificação da Copa Libertadores somada à contundente derrota para o Flamengo no Brasileirão, no fim de semana passado, ainda repercutem no Palmeiras. Na madrugada desta quarta-feira, muros da bilheteria do Allianz Parque foram pichados. Os principais alvos das mensagens foram o presidente Maurício Galiotte e o diretor de futebol Alexandre Mattos.

As frases “presidente omisso”, “time de pipoqueiro” e “fora Mattos” foram rapidamente apagadas da fachada das bilheterias. Mesmo sendo um nome que chega pressionado para comandar a equipe no lugar de Felipão, o nome de Mano Menezes não foi citado no ato de vandalismo.

Há seis dias, representantes da torcida organizada Mancha Alviverde tiveram uma reunião na Academia de Futebol. No encontro, membros da agremiação conversaram com Alexandre Mattos e pediram a saída dele do cargo.

Na saída do encontro, o presidente da torcida organizada, André Guerra, revelou o que disse para o dirigente: “A gente pede a demissão dele. Ele confessou para a gente que errou, então alguma coisa tem que acontecer, tem de ter alguma mudança.”

Preocupado com possíveis manifestações raivosas da torcida, o Palmeiras aumentou os cuidados em seu centro de treinamento. O clube trouxe mais seguranças para cuidar das entradas do local e pediu para a Polícia Militar fazer plantão na porta durante os próximos dias. O clube também não divulgou a agenda da semana e vetou a entrada dos jornalistas para acompanhar as atividades.