Mundo

Biden irá retirar tropas dos EUA do Afeganistão até 11 de setembro, dizem fontes

Biden irá retirar tropas dos EUA do Afeganistão até 11 de setembro, dizem fontes

Presidente Biden na Casa Branca em Washington


Por Phil Stewart e Idrees Ali e Steve Holland

WASHINGTON (Reuters) – O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, decidiu retirar as tropas norte-americanas do Afeganistão até 11 de setembro de 2021, exatamente 20 anos depois de os ataques da Al Qaeda desencadearem a guerra mais longa dos EUA, disseram à Reuters três fontes a par do assunto.

Mas a retirada se basearia em certas garantias de segurança e de direitos humanos, disseram as fontes, que falaram sob anonimato antes da formalização da decisão, sem dar maiores detalhes.

O secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, e o secretário da Defesa, Lloyd Austin, devem comunicar a decisão a aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em Bruxelas na quarta-feira. Também é possível que Biden a anuncie publicamente, segundo as fontes.

Caso confirmada, ela descumprirá o prazo de retirada de 1º de maio combinado entre insurgentes do Taliban e o governo de Donald Trump, o antecessor de Biden. Em um comunicado emitido neste mês, o Taliban ameaçou retomar as hostilidades contra tropas estrangeiras no Afeganistão em caso de descumprimento do prazo de 1º de maio.


+ Casal posta fotos nus em pontos turísticos e ganha fama na web
+ Após ameaças, soldada da PM denuncia coronel por assédio sexual
+ ‘Raça de víboras’: Andressa Urach critica seguidores que não acreditam em sua fé
+ Mulher morre após ingerir bebida alcoólica e comer 2 ovos



Mas a decisão ainda estabeleceria uma data relativamente próxima com uma retirada, podendo apaziguar os temores do Taliban de que Biden protelaria o processo.

O prazo de 1º de maio já parecia cada vez menos provável nas últimas semanas, dada a falta de preparativos locais para garantir que pudesse ocorrer de maneira segura e responsável. Autoridades dos EUA também culparam o Taliban por não cumprir os compromissos de diminuir a violência, e houve que alertasse para os laços persistentes do Taliban com a Al Qaeda.

(Por Phil Stewart, Idrees Ali e Steve Holland)

((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))

REUTERS PF

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH3C17Q-BASEIMAGE

Veja também

+ Canadá anuncia primeira morte de pessoa vacinada com AstraZeneca no país
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Decifrado código dos Manuscritos do Mar Morto
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS