Geral

Bia Kicis é bloqueada no YouTube após live com conteúdo antivacina

Crédito: Marcello Casal Jr,Agência Brasil

RETROCESSO Bia Kicis é um dos arautos da volta ao passado da compra de votos (Crédito: Marcello Casal Jr,Agência Brasil)


A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, teve sua conta bloqueada no YouTube por sete dias na última sexta-feira (25). O bloqueio aconteceu depois que foram veiculadas desinformações sobre vacinação infantil durante uma live. A gravação foi excluída pela plataforma por violar regras sobre Covid-19 do YouTube. As informações são do monitoramento da consultoria Novelo Data e do site Sonar.

Na live, foram feitas defesas de que crianças não sejam vacinadas. A live contou com a participação dos deputados Chris Tonietto (União Brasil-RJ) e Diego Garcia (Podemos-PR), do procurador de Sergipe José Paulo Veloso, da médica bolsonarista Roberta Lacerda e de outros críticos à vacinação.

Como forma de burlar a punição do Youtrube, Bia Kicis pediu que seus seguidores acompanhassem uma página reserva com quase 3 mil seguidores, na qual chegou a postar dois vídeos. Mas logo foi alertada pelo YouTube que a prática é proibida. “Agradeço a todos que se inscreveram no meu canal reserva, mas fui informada pelo YouTube que se eu fizer a live por lá, isso seria considerada (sic) uma burla à minha suspensão e poderei perder em definitivo ambos meus canais”, escreveu em sua página no Telegram.

A suspensão dura apenas 90 dias como forma de aviso. Se dentro do período a deputada for alvo de um novo aviso por violar regras ficará bloqueada por 14 dias. Se cometer outra infração no mesmo período de 90 dias, o canal é removido permanentemente.

Bia Kicis também ficou temporariamente impedida de fazer transmissões de vídeo ao vivo no Instagram. Ela está entre os investigados no inquérito que apura fake news e ameaças contra ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) em andamento na Corte.