Esportes

Bernardinho, Zé Roberto, Hortência, Paula e mais 6 entram no Hall da Fama do COB

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) anunciou nesta sexta-feira os nomes de dez novos integrantes que foram eleitos para entrar em seu Hall da Fama em 2019. Entre eles estão Bernardinho e José Roberto Guimarães, campeões olímpicos e com carreiras altamente vitoriosas pela seleção brasileira de vôlei, além de Hortência e Paula, campeãs mundiais de basquete em 1994 e vice-campeãs olímpicas em Atlanta-1996.

A entidade também confirmou que Chiaki Ishii, primeiro medalhista olímpico do judô brasileiro, em Munique-1972; Joaquim Cruz, campeão olímpico de atletismo na prova dos 800 metros em Los Angeles-1984; e os já falecidos Guilherme Paraense (tiro esportivo), primeiro medalhista de ouro olímpico do Brasil em Antuérpia-1920; João do Pulo, duas vezes medalhista de bronze olímpico no atletismo; Maria Lenk (natação), primeira mulher sul-americana a disputar os Jogos Olímpicos, em Los Angeles-1932; e Sylvio Magalhães Padilha, primeiro sul-americano a disputar uma final olímpica no atletismo, em Berlim-1936, como outros nomes a ingressar no Hall da Fama.

“O Hall da Fama do COB pretende eternizar os atletas e treinadores que ajudaram a construir nossa história olímpica. Tenho certeza de que a história desses grandes personagens do esporte será inspiração para novas gerações”, afirmou o presidente do COB, Paulo Wanderley Teixeira, ao oficializar os novos integrantes do Hall da Fama da entidade. “As homenagens estarão à mostra no Centro de Treinamento Time Brasil, futura sede administrativa do COB, em um espaço aberto à visitação pública. Mas, antes, faremos a solenidade de gravação dos moldes junto à sociedade, em eventos ao longo do ano de 2019, como forma de valorizar ainda mais esses heróis”, reforçou.

Este ano o COB recebeu 23 indicações para o Hall da Fama, mas apenas 17 estavam elegíveis pelas regras da ingressas neste seleto grupo, que foi idealizado pela entidade apenas em 2018 com o objetivo de “celebrar as conquistas dos maiores atletas e técnicos do país, além de personagens que contribuíram de maneira marcante com o esporte olímpico brasileiro, promovendo o Olimpismo e inspirando novas gerações”, conforme destacou o comitê nesta sexta por meio de nota publicada em seu site oficial.

“Essa é apenas a segunda seleção de nomes para o Hall da Fama que pretende, pouco a pouco, ocupar essa lacuna de reconhecimento e valorização da história olímpica do país. Em breve tenho certeza de que teremos conseguido ressaltar os feitos e glórias dos grandes atletas e treinadores brasileiros”, comentou o diretor geral do COB, Rogério Sampaio, campeão olímpico de judô nos Jogos de Barcelona-1992.

Em sua primeira edição, o Hall da Fama do COB homenageou, durante o Prêmio Brasil Olímpico, em dezembro do ano passado, os seguintes nomes: Torben Grael, da vela, maior medalhista olímpico do Brasil; a dupla Sandra Pires e Jackie Silva, do vôlei de praia, primeiras brasileiras a ganharem medalhas de ouro nos Jogos; e o maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima, único brasileiro a receber a medalha Pierre de Coubertin, maior honraria do Movimento Olímpico.

José Roberto Guimarães, que está na Turquia com a seleção brasileira feminina de vôlei para as disputas da próxima semana pela Liga das Nações, comemorou a indicação do seu nome para o seleto grupo do COB. “É uma grande homenagem e fico muito feliz. Desde garoto meu sonho sempre foi representar meu país e vestir a camisa da seleção brasileira. Consegui isso como jogador e dei continuidade como técnico. Receber essa honraria do COB é um reconhecimento por todos esses anos de aprendizado representando minha nação”, afirmou.