Os beija-flores bebem álcool regularmente porque o néctar de que se alimentam é fermentado. Mas eles não ficam bêbados. Como isso é possível?

Além dessa peculiaridade, pesquisadores da Universidade do Novo México (EUA) e do Instituto Nacional de Biodiversidade da África do Sul descobriram que várias espécies de beija-flores andinos reduzem drasticamente a temperatura corporal durante seu torpor noturno. Em artigo publicado na revista “Biology Letters”, a equipe descreve seu estudo de termorregulação nesses pássaros e o que aprendeu sobre eles, informam o jornal “The Guardian” e o site Phys.org.

Alguns animais, como os ursos, hibernam durante o inverno. Graças a esse mecanismo corporal, eles sobrevivem às baixas temperaturas sem ter de ingerir grandes quantidades de calorias para se manter aquecidos. Outros animais, por seu lado, entram em um estado conhecido como torpor, no qual seu metabolismo diminui drasticamente para permitir que conservem energia durante os períodos de magreza ou frio. É o caso dos beija-flores. O torpor desses pássaros não é prolongado: após uma noite nesse estado, o metabolismo das avezinhas volta a subir, e sua temperatura corporal chega a atingir 40 graus Celsius.