Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Durante participação no podcast Denílson Show, o ex-jogador Bebeto falou sobre a derrota por 3 a 0 do Brasil para a França na final da Copa do Mundo de 1998.

Remanescente do tetra em 1994, Bebeto acredita que a convulsão que Ronaldo Fenômeno sofreu horas antes do jogo abalou a seleção. “Eu já estava ali ‘pô se eu for convocado vou dar tudo de mim para conquistar este título de novo’. E a gente só não conquistou, vou ser sincero, por causa daquele problema do Ronaldinho”, disse o ex-atacante.

“Eu acreditava muito. Nosso time era muito bom, com muito talento dentro e fora de campo. Se a gente jogasse dez partidas contra a França com este time, eu acho que a gente perde uma e ganha nove. A gente estando em condições. Porque você tem que estar preparado mentalmente e psicologicamente. Uma final de Copa requer isso de todos”, acrescentou.

Bebeto também comentou sobre o susto que levou ao saber do problema de Ronaldo. “Ouvia alguém gritando meu nome e o Leonardo, meu companheiro de quarto, achava que eram os franceses, que fizeram foguetório no nosso hotel. Aí aquele ‘Bebeto, Bebeto, Bebeto’, a voz cada vez mais próxima e aí abro a janela e o Edmundo: ‘Bebeto, cadê o doutor? O Ronaldo tá morrendo!’ Foi forte demais. E foi no dia do jogo, logo depois do almoço”, contou.

“Minha maior preocupação era a saúde do Ronaldo. Encontrei o Ricardo Teixeira por acaso na escada e disse ‘presidente, Copa do Mundo tem de quatro em quatro anos. É a saúde do Ronaldo que tá em primeiro lugar’. Foi a única coisa que falei. E ele falou ‘não, o Ronaldo já foi fazer exame e não vai jogar mais’”, completou Bebeto.

O ex-atacante ainda contou sobre como a equipe estava abalada com a situação de Fenômeno. “Na preleção o Zagallo estava chorando. Aquilo abalou todo mundo. Não desmerecendo o título da França, que tinha um grande time, mas eles não ganhavam da gente com aquele time que a gente tinha. Aquela foi a única vez que vi o Dunga triste, cabisbaixo. O Dunga era chato demais jogando futebol. Como reclamava da gente!  (…) Falei ‘Dunga, meu irmão, deixa eu te falar, se a gente ficar assim, a gente vai entrar perdendo. Você é nosso capitão, nossa referência’. E aí ele ‘é verdade’ e foi se erguendo”, revelou.

Na final contra a França, Edmundo iria substituir Ronaldo. A mudança, contudo, não aconteceu, já que o Fenômeno se recuperou a tempo de estar no jogo. Para Bebeto, Edmundo ficou frustrado por ser deixado de fora nos minutos antes da decisão do Mundial.

“O Zagallo e o Zico me falaram ‘pô, estamos pensando em colocar o Edmundo com você’. E eu falei que me entendia perfeitamente com ele, fizemos uma grande dupla no início dele no Vasco e que dá minha parte estava tranquilo. Só falei isso. E o Edmundo ficou feliz, toda hora no aquecimento chegava do meu lado e falava ‘vamos ganhar’. Aí o Ronaldo entra e o Edmundo já fala: ‘isso vai sobrar pra mim’. Eu disse pra ficar calmo, que o importante era o Ronaldinho estar bem. Aí foram lá atrás se reunir no vestiário, o presidente… A gente já estava até aquecido. E criou-se outro problema, porque o Edmundo ficou chateado e achando que ia sobrar pra ele como sobrou”, concluiu.