Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

O economista chefe do Banco Central Europeu (BCE), Philip Lane, antecipou que a entidade deve subir os juros em 25 pontos-base nas suas reuniões de política monetária de julho e setembro, em entrevista ao jornal espanhol Cinco Días. De acordo com ele, dado o cenário de incerteza elevada, é importante definir as expectativas corretas. Com os planos atuais do BCE, os juros na zona do euro sairão de território negativo até o fim do terceiro trimestre, afirmou.

“Achamos que este planejamento faz sentido. O que acontecerá depois depende de como a inflação vai evoluir”, disse Lane. Quanto à chance de altas maiores do que 25 pontos-base, o economista argumentou que a tendência é por elevações nesta faixa pois ela funciona como um “ritmo de referência” para o aumento da taxa básica. “Qualquer discussão sobre outras variações teria que justificar um movimento mais forte do que essa sequência de altas em julho e setembro. O debate terá lugar, mas nossa avaliação atual da situação exige uma normalização gradual”, explicou.

Lane também afirmou que o BCE está comprometido em evitar a fragmentação financeira na zona do euro, em um momento em que o prêmio de risco sobe junto com os rendimentos de títulos soberanos na região. “Não vamos ignorar o risco de fragmentação, sabemos claramente que foi algo muito prejudicial no passado. Monitoramos constantemente o risco de fragmentação e estamos comprometidos em preveni-la dentro dos limites de nosso mandato”.