Economia

BC: Por greve, rankings de reclamações e de ouvidorias não serão divulgados nas datas


Os rankings de reclamações e de qualidade das ouvidorias das instituições financeiras entraram para o rol de divulgações do Banco Central afetadas pela greve dos servidores do órgão. Há pouco, o BC informou que as listas, que são trimestrais, não serão divulgadas nas datas previstas. O Ranking de Reclamações do 1º trimestre seria divulgado no dia 20 de abril, enquanto o de Ouvidorias seria publicado no dia 27.

“Devido à greve em curso, o ranking de reclamações e o ranking de ouvidorias não serão divulgados nas datas previstas. Oportunamente, informaremos com pelo menos 24 horas de antecedência as novas datas para as divulgações”, disse o BC, em nota.

O movimento dos servidores do BC já atrasa uma série de importantes divulgações da autarquia. Segundo o órgão, as informações continuam sendo coletadas e serão publicadas após o fim da greve.

O Boletim Focus, acompanhado com lupa pelo mercado financeiro, especialmente no momento crítico para a inflação e política monetária, está sem divulgação há duas semanas. Os dados do fluxo cambial já completam três semanas sem publicação. O BC também não divulgou o Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) e as estatísticas de crédito, fiscal e do setor externo de fevereiro. Da mesma forma, o relatório de poupança referente a março foi postergado, sem nenhuma previsão de publicação. Há impactos também no desenvolvimento de projetos e na agenda regulatória do BC, além de atrasos na divulgação da taxa ptax.

Os servidores do BC estão em greve por tempo indeterminado desde 1º de abril, em busca de recomposição salarial de 26,3% e reestruturação de carreira. A proposta de 5%, que deve ser proposta pelo governo, como mostrou o Broadcast, é considerada insuficiente, segundo o presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do BC (Sinal), Fábio Faiad. A categoria terá nova assembleia para definir os rumos do movimento na próxima terça-feira, 19.