Economia

BC: persistência da pressão inflacionária revela-se maior do que o esperado


A persistência da pressão inflacionária revela-se maior que o esperado pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que decidiu elevar a Selic hoje para 4,50% ao ano. De acordo com comunicado da instituição divulgado nesta quarta-feira, 16, isso ocorre, sobretudo, entre os bens industriais.

“Adicionalmente, a lentidão da normalização nas condições de oferta, a resiliência da demanda e implicações da deterioração do cenário hídrico sobre as tarifas de energia elétrica contribuem para manter a inflação elevada no curto prazo, a despeito da recente apreciação do real”, enfatizaram os diretores.

O Comitê se comprometeu a seguir atento à evolução desses choques e seus potenciais efeitos secundários. Também disse que vai monitorar o comportamento dos preços de serviços conforme os efeitos da vacinação sobre a economia se tornam mais significativos. O colegiado mencionou ainda que as diversas medidas de inflação subjacente apresentam-se acima do intervalo compatível com o cumprimento da meta para a inflação.

Veja também
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ ‘Transo 15 vezes na semana’, diz Eduardo Costa ao revelar tratamento por vício em sexo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago