Economia

BC do México eleva juro a 7% para conter inflação bem acima da meta


O Banco do México (Banxico) aumentou a taxa básica de juros em 50 pontos-base, a 7,0%, em decisão de política monetária divulgada no período da tarde desta quinta-feira. A votação não foi unânime, uma vez que uma entre os cinco dirigentes da autoridade monetária votou por uma elevação ainda mais agressiva, de 75 pontos-base.

Em comunicado, a instituição explica que levou em consideração a magnitude dos choques de inflação e os riscos de que eles contaminem a economia.

O crescente desafio decorrente do aperto da política monetária no mundo também foi citado como fator que embasou a definição.

O Banxico menciona ainda o agravamento do quadro inflacionário em meio à guerra na Ucrânia e aos surtos de covid-19 na China.

Segundo o BC mexicano, em abril, a inflação e o núcleo dela no México tiveram altas anuais de 7,68% e 7,22%, nos maiores níveis desde janeiro de 2001 e bem acima da meta de 3%. “As expectativas de médio prazo para ambos foram revisadas para cima, enquanto as para prazos mais longos permaneceram estáveis “em níveis acima da meta”, ressalta.

Para as próximas reuniões, o Banxico diz que vai monitorar as pressões inflacionárias e que, dado o contexto complexo, “medidas mais enérgicas” contra o avanço dos preços poderão ser consideradas.





Tópicos

BC juros México