Economia

BC da Rússia mantém juro básico em 4,25%, deixando porta aberta para novos cortes

O Banco Central da Rússia decidiu nesta sexta-feira (18) manter sua principal taxa de juros em 4,25%, após reduzi-la a mínimas recordes por três vezes consecutivas, com o argumento de que a inflação doméstica superou um pouco as expectativas nos últimos meses em meio à recuperação que se segue ao choque do coronavírus – e de que o rublo russo tem se enfraquecido ante o dólar.

Em comunicado, porém, o BC russo alertou que riscos desinflacionários prevalecem no médio prazo, uma vez que o ritmo de retomadas das economias global e russa irá desacelerar.

A autoridade monetária prevê que a inflação na Rússia ficará entre 3,7% e 4,2% em 2020 e na faixa de 3,5% a 4% em 2021, antes de se estabilizar em torno de 4%, que corresponde a sua meta oficial.

O BC russo disse ainda que considerará a “necessidade de mais reduções da taxa básica em suas próximas reuniões”. O próximo encontro está marcado para 23 de outubro.

Veja também

+ Confira 4 dicas para descobrir se o mel é falsificado

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ MG: Pastor é preso por crime sexual e alega que caiu em tentação

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar


Tópicos

BC juros Rússia