ISTOÉ Gente

BBB22: Irmão de Jade sobre sister: ‘Usa da arrogância para blindar sua insegurança’

BBB22: Irmão de Jade sobre sister: ‘Usa da arrogância para blindar sua insegurança’

Leo Picon usou suas redes sociais para falar sobre a participação da irmã, Jade, no BBB22, na madrugada desta terça-feira (8). O influencer contou que está sendo uma “experiência indescritível” assisti-la no reality show e que vai continuar tirando sarro da situação.

“Ela é a pessoa que eu mais amo no mundo, mas eu amo zuar ela e, mesmo levando a vida a sério, não levo a vida com tanta seriedade. Muita coisa de perto assusta e de longe é engraçado… a vida é composta por vários momentos assim e a Jade está num desses, que pela primeira vez estou longe. Por isso é engraçado imediatamente. Mas são coisas que virarão aprendizados pra mim, pra ela e pra quem quiser aprender”, começou ele.

Leo disse que Jade tem uma série de comportamentos que ele reprova, mas que o amor por ela supera tudo. Ele ainda citou a arrogância da sister, assunto constante na web.

“A gente vive puxando a orelha do outro pra que a gente melhore e evolua. Somos cúmplices, eternamente fiéis e conectados. A relação mais forte que eu tenho com alguém. Ser irmão mais velho de uma menina mulher é cuidar, acolher, ensinar e se conectar com uma essência mais jovem, mais impulsiva, mais delicada e mais sentimental. A Jade usa da arrogância pra blindar sua insegurança. Quantas inseguranças ela tem? Quanta arrogância a permitem?”, declarou.

Para o influencer, o BBB tem mostrado a verdadeira face de alguns fora da casa. “Tenho visto do que pessoas são capazes. Tanto pro bem, quanto pro mal. E isso é realmente a parte do reality show, isso é reality life. […] Decidi mudar de postura e não me curvar mais a quem criava inseguranças em mim para explorar minhas fraquezas. Eu reconheci minha força pra não ser refém nem vítima disso. Isso veio com a dor do amadurecimento”, afirmou.

Leo continuou e falou que “exposição, fama, dinheiro, mulheres, poder, popularidade, notoriedade foram conquistas” que ele batalhou, mas nada trouxe felicidade. “Talvez conforto, status, oportunidades, gente interesseira, inimigos, conflitos. Felicidade eu não tive alcançando nada. Tive no processo”.