Esportes

Bayern Munique favorito e PSG e City cheios de esperança na Liga dos Campeões

Bayern de Munique, grande favorito, contra o Barcelona de Lionel Messi, Manchester City e Paris Saint-Germain cheios de esperança … As quartas de final da Liga dos Campeões começam nesta quarta-feira, a portas fechadas e sob estrita vigilância sanitária, estreando o formato de competição ‘Final 8’, com disputa em jogo único em Lisboa, liberando o direito de sonhar para todas as equipes.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Um torneio final com oito times para encerrar uma temporada diferente. Após um hiato de cinco meses, o futebol europeu chega ao fim de uma longa temporada abalada pela pandemia do coronavírus.

Nas margens do Tejo, a capital portuguesa surge como um refúgio de paz para o encerramento de um período em que clubes e federações registraram prejuízos gigantescos com a interrupção dos torneios nacionais e continentais.

Mas o contexto sanitário, sempre complicado, leva a atenção para acontecimentos que podem afetar o retorno aos gramados e que geram preocupações nos organizadores da Liga do Campeões.

Dois membros do Atlético de Madrid, que enfrenta o RB Leipzig na quinta-feira, testaram positivo para COVID-19 no domingo, uma ameaça que paira sobre o evento. Mas uma nova série de testes, cujos resultados foram anunciados nesta segunda-feira, tranquilizou o mundo do futebol: não há mais infectados entre os membros da equipe espanhola.

Sem a presença de público e sob estrito protocolo sanitário, numa cidade onde alguns bairros tiveram que seguir novamente medidas de confinamento no início de julho, os últimos jogos da Liga dos Campeões não terão o sabor das eliminatórias partidas de ida e volta típicas de sua história.

“O ambiente muda muito. Agora você não sente nada quando vai para o aquecimento”, lamentou recentemente o chileno Arturo Vidal, meia do Barcelona.

– PSG contra seus demônios –

Mas, paradoxalmente nesta situação, os sonhos das quartas de final nunca foram mais vívidos, especialmente entre aqueles com menos tradição neste torneio continental.

Seis dos oito clubes nas quartas de final nunca levantaram a ‘Orelhuda’ (apelido do troféu da Liga dos Campeões).

O formato de jogo único a partir dessa fase da competição, com jogos numa cidade sede, oferece um caminho muito curto para o título: três vitórias para conquistá-lo, uma oportunidade única que deve ser aproveitada, apesar de pairar sobre esta edição o debate sobre o suposto menor valor desta temporada.

O PSG não está preocupado com este tema. O atual campeão francês, mais motivado do que nunca, abre com o italiano Atalanta a série de partidas decisivas na capital portuguesa na quarta-feira (16h00 de Brasília).

Apesar de um caminho acessível para a final, com uma possível semifinal contra o Atlético de Madrid ou Leipzig, o PSG não está 100% para encarar o complicado time da Lombardia.

As ausências por lesão dos titulares Kylian Mbappé e Marco Verratti apoiam a tese de alguns torcedores que falam de uma maldição europeia que assombra a equipe francesa desde a virada sobre o Barcelona em 2017.

“O Atalanta tem uma grande vantagem sobre nós, o ritmo. Não temos ritmo suficiente, apenas jogámos duas finais de taças (depois do encerramento do Campeonato Francês). Devem ser encontradas soluções”, reconheceu o treinador do clube parisiense Thomas Tuchel.

– O gande favorito –

Já o Bayern de Munique chega a Portugal em velocidade de cruzeiro. Os bávaros conquistaram o Campeonato Alemão e a Copa da Alemanha após a interrupção por conta do vírus, e sua última vitória no sábado contra o Chelsea (4 a 1), com dois gols do artilheiro Robert Lewandowski, confirmou seu status de melhor candidato ao título.

“Com o que mostramos nas últimas semanas e meses, não temos que esconder”, disse David Alaba, zagueiro da equipe alemã, que não terá um caminho simples até o desejado título continental.

O primeiro desafio começa na sexta-feira, diante do Barcelona de Lionel Messi. Envolvido em uma crise de resultados nos últimos meses, que culminou com a perda do campeonato espanhol para o Real Madrid, o Barça quer salvar a temporada em Lisboa.

O vencedor desta eliminatória terá pela frente o Manchester City ou Lyon, que se enfrentam no sábado. O City do técnico Pep Guardiola desembarca em Lisboa após eliminar o Real Madrid, mostrando que amadureceu após anos de fracassos no principal torneio europeu.

“Para nós é importante eliminar a equipe de Zinédine Zidane, que nunca aconteceu antes. Mas estamos aqui para tentar conquistar a Liga dos Campeões”, afirmou Guardiola.

Mas o Lyon gosta deste tipo de desafio, como bem sabem Juventus e Cristiano Ronaldo, que ficaram pelo caminho. A aposta é arriscada, mas, no final de uma temporada virada de cabeça para baixo, todas as esperanças são permitidas.

— Programa das quartas de final da Liga dos Campeões (pelo horário de Brasília):

– Quarta-feira, 12 de agosto: (16h00) Atalanta (ITA) – PSG (FRA)

– Quinta-feira, 13 de agosto: (16h00) RB Leipzig (GER) – Atlético Madrid (ESP)

– Sexta-feira, 14 de agosto: (16h00) Barcelona (ESP) – Bayern de Munique (ALE)

– Sábado, 15 de agosto: (16h00) Manchester City (ENG) – Lyon (FRA)

ah/ama/gh/lca

Veja também

+Cidadania divulga calendário de pagamentos da extensão do auxílio emergencial

+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ Entenda por que seu cão segue você até no banheiro

+ Nova Honda CB125F 2021 consegue fazer o recorde de 67 km/l

+ Fazenda 2020: Mariano e Jake se beijam na área externa da casa

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea