Agronegócio

Bayer vende negócio de saúde animal para a Elanco por US$ 7,6 bilhões

São Paulo, 20/08 – A multinacional alemã Bayer anunciou, na manhã desta terça-feira, que está vendendo seu negócio de saúde animal para a norte-americana Elanco Animal Health por US$ 7,6 bilhões. Pela transação, a Bayer receberá US$ 5,3 bilhões em pagamento em dinheiro e US$ 2,3 bilhões em ações da Elanco, informou a empresa em comunicado divulgado para a imprensa. A companhia afirmou também que pretende deixar a participação com o tempo. O negócio deve ser concluído em meados de 2020, após a aprovação de órgãos reguladores. Após o anúncio da venda, os papéis da Bayer, negociados na Bolsa de Frankfurt, subiam 0,4% a 66,60 euros por ação.

O valor da transação, segundo a empresa alemã, representa um múltiplo implícito de 18,8 vezes baseado no Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado de 12 meses da Bayer Animal Health em 30 de junho de 2019. No segundo trimestre deste ano, encerrado em 30 de junho, a operação gerou US$ 410 milhões em vendas. O Ebitda foi de US$ 97 milhões no período. Nessa operação, a Bayer é líder global no segmento, com receita de US$ 1,8 bilhões no ano fiscal de 2018.

A negociação já havia sido antecipada por representantes da empresa alemã no início de julho. A operação é a menor das quatro unidades da Bayer. Segundo a companhia, o desinvestimento faz parte de um processo de revisão de portfólio, iniciado em novembro de 2018. “Esta transação aumenta nosso foco como líder global em ciências da vida”, disse Werner Baumann, presidente do Conselho de Administração da Bayer, em referência à revisão da companhia para maior foco na divisão Crop Science, que inclui produtos agrícolas.

A venda da divisão de saúde animal pode ajudar a Bayer a reduzir sua dívida avaliada em US$ 39,5 bilhões, em parte, referente à aquisição da Monsanto em 2018.
A reestruturação de portfólio é uma demanda de acionistas da companhia. Nos últimos meses, a Bayer vendeu sua participação de 60% na operadora de parques químicos Currenta e as unidades de protetor solar Consumer Health Coppertone e de produtos para os pés Dr. Scholl’s.

O processo de desinvestimento de ativos da multinacional alemã ganhou fôlego em meio ao crescente imbróglio jurídico em que a empresa está envolvida com o herbicida Roundup, produzido à base de glifosato. Atualmente, a companhia enfrenta 18,4 mil processos judiciais envolvendo o produto químico. Analistas de mercado estimam que a companhia deve desembolsar aproximadamente US$ 20 bilhões por indenizações decorrentes do litígio.

+ Briga de vizinhos termina com personal trainer morta a facadas no interior de SP

Os bancos Bofa (Bank of America Merrill Lynch) e Credit Suisse atuaram como consultores financeiros da Bayer durante a negociação, enquanto Sullivan & Cromwell, PwC Legal e Linklaters atuaram como consultores jurídicos. Com o acordo, a Elanco terá uma participação de mercado de cerca de 13% no segmento de saúde animal e será a segunda maior empresa do setor em receita, segundo observação do banco de investimentos alemão Baader Bank.

Veja também

+ Cunhado de Maradona morre de Covid-19 na Argentina

+ Nazistas ou extraterrestres? Usuário do Google Earth vê grande ‘navio de gelo’ na costa da Antártida

+ Harley-Davidson HD350, chegando em 2021?

+ Xiaomi anuncia TV OLED com tela transparente por quase R$ 40 mil

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?